Negociações interrompidas durante 15 minutos após queda de 7% do S&P 500

A bolsa de Nova Iorque começoua semana com fortes quedas devido à propagação do Covid-19, que aumenta a preocupação dos investidores relativamente às consequências económicas do surto. Esta manhã, os juros dos títulos do Tesouro norte-americanos a 10 anos recuaram para 0,498%, um mínimo histórico.

Reuters

A bolsa de Nova Iorque começou a semana com fortes quedas devido à propagação do Covid-19, que aumenta a preocupação relativamente às consequências económicas do surto. A par disso, a guerra sobre os preços do petróleo causam igualmente ansiedade dos investidores.

Quer o índice Dow Jones quer o S&P 500 caíram 7%, o que levou à suspensão das negociações durante 15 minutos a partir da 13h35 (hora de Lisboa). “Os futuros em Nova Iorque encontram-se suspensos após as quedas atingirem valores superiores a 5% (limite máximo de perdas no pre-market). A condicionar os mercados está a queda dos preços do petróleo e a quarentena imposta pelo governo italiano no norte do país”, explica Ramiro Loureiro, trader do Millennium bcp, numa nota de mercado.

Às 13h57 desta segunda-feira, os três principais índices norte-americanos negociavam no ‘vermelho’. O industrial Dow Jones perdia 5,74% para os 24.380,16 pontos; o financeiro S&P 500 caía 5,87%, para os 2.797,80 pontos e o tecnológico Nasdaq descia 5,60%, para os 8.095,60 pontos. Já o Russel 2000 estava a ser marcado por uma desvalorização de 6,06%, para os 1.348,70 pontos. “Estarão os mercados a querer repetir a histórica Segunda-Feira Negra?”, questionou-se André Pires, analista da XTB, sobre o assunto.

Esta manhã, os juros dos títulos do Tesouro norte-americanos a 10 anos recuaram para 0,498%, um mínimo histórico.

A cotação do barril de Brent está a tombar 20,43%, para 36,02 dólares, enquanto a cotação do crude WTI cai 19,50%, para 33,22 dólares por barril, depois da reunião da OPEP+ em Viena na sexta-feira.

“Após a Arábia Saudita ter iniciado uma guerra de preços, em reação à indisponibilidade da Rússia para cortar produção, levou a um desentendimento na OPEP+. Isto deveria ser positivo para a atividade económica, ao impulsionar o consumo”, referem os analistas do banco espanhol Bankinter.

Quanto ao mercado cambial, o euro aprecia 1% face ao dólar (1,1398) e a libra esterlina “valoriza” 0,47% perante a divisa dos Estados Unidos (1,3107).

Na semana passada, o presidente da Reserva Federal norte-americana confessou que seria inevitável que os efeitos do novo coronavírus alterassem o normal funcionamento das economias “durante algum tempo”.

“O surto está a alterar a atividade económica em muitos países e seguramente alastrará à atividade económica aqui [Estados Unidos da América] e no exterior “, afirmou Jerome Powell na conferência de imprensa que se seguiu à descida extraordinária das taxas de juro em 50 pontos base, anunciada na última terça-feira.

Notícia atualizada às 14h01

Ler mais

Recomendadas

Nasdaq lidera quedas em Wall Street

As tecnológicas acentuaram as perdas, nomeadamente as FAANG. A Facebook perdeu 2,48%, a Apple cedeu 0,46%, a Amazon tombou 3%, a Netflix afundou 4,23% e a Alphabet, dona da Google, caiu 1,74%. Também a Microsoft teve uma sessão negativa, desvalorizando 3,09%.

Domingos Soares de Oliveira: “não há neste momento qualquer situação oficial entre o Benfica e o treinador Jorge Jesus”

“Conforme é sabido, o nosso presidente tem uma relação pessoal com o treinador Jorge Jesus, portanto é natural que converse com o treinador, mas não não há neste momento qualquer situação oficial entre o Benfica e o treinador Jorge Jesus”, vincou Domingos Soares de Oliveira.

PSI-20 fecha em alta com a ajuda do BCP que valorizou mais de 3%

O BCP foi a estrela da sessão ao subir mais de 3%. Mas a queda da EDP, depois das notícias de que a própria empresa deverá ser constituída arguida no processo de rendas excessivas, travou a subida do PSI-20 que fechou em alta, mas abaixo das principais praças da Europa.
Comentários