É oficial: Negociações para o Brexit arrancam segunda-feira

Negociações para o Brexit vão mesmo arrancar na próxima segunda-feira, dia 19, confirmou num comunicado conjunto o Reino Unido e a União Europeia.

É oficial: as negociações para o Brexit vão mesmo arrancar na próxima segunda-feira, dia 19, confirmou num comunicado conjunto o Reino Unido e a União Europeia.

“David Davis, o ministro encarregado da saída da União Europeia, e Michel Barnier, o negociador chefe da Comissão Europeia, acordaram hoje lançar as negociações na segunda-feira, dia 19 de junho”, escreve o Departamento britânico para a saída da União Europeia, citado pela Reuters.

A data já tinha sido acordada antes das eleições legislativas no Reino Unido, no dia 8, no entanto, a perda de maioria absoluta pela primeira-ministra Theresa May aumentou a incógnita sobre a concretização das datas acordadas.

O negociador da União Europeia, Michel Barnier, tinha dado indicações no dia após as eleições sobre a possibilidade da Comissão Europeia dar mais tempo ao Reino Unido para iniciar as negociações formais.

Recorde-se que Londres deverá deixar o projeto de construção europeu no final de março de 2019.

Recomendadas

PremiumCabo Verde escolhe entre continuidade e regresso do PAICV

Legislativas de domingo decorrem sob o impacto da crise pandémica, com o primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva a procurar a reeleição.

Médicos alertam que Navalny pode sofrer paragem cardíaca “a qualquer momento”

Alexei Navalny, considerado como o principal crítico do Kremlin (Presidência russa), iniciou no passado dia 31 de março uma greve de fome em protesto contra as condições de detenção a que está sujeito, acusando a administração penitenciária de lhe recusar o acesso a um médico e a medicamentos, uma vez que sofre, segundo indicaram os seus advogados, de uma dupla hérnia discal.

Negociações sobre nuclear com o Irão continuam e registam progressos

Depois de uma reunião da chamada “comissão conjunta” do acordo JCPOA, as delegações do Irão, Alemanha, Reino Unido, França, China e Rússia decidiram que os dois grupos de especialistas – criados na semana passada – continuam hoje e nos próximos dias o seu trabalho.
Comentários