Netflix aumenta lucros e subscritores após perdas no trimestre anterior

Depois de uma quebra acentuada, a Netflix volta a aumentar o número de subscritores para 6,77 milhões e a receita total aumentou para 4,74 mil milhões de euros, estando as ações a ser negociadas perto de 1,50 euros.

Direitos Reservados | https://quotecatalog.com/

Foi com as novas temporadas de ‘Stranger Things’ e ‘Por 13 Razões’ que a empresa de streaming conseguiu aumentar o número de subscritores no terceiro trimestre de 2019, após uma quebra abrupta de assinantes e de uma diminuição de 30% dos lucros. Após uma queda no preço das ações no último mês, a Netflix encerrou o mercado desta quarta-feira no verde com uma subida de 0,71% para 286,28 dólares.

A empresa de Reed Hastings regressou aos ganhos depois de perdas inesperadas nos Estados Unidos em termos financeiros e de assinantes. Séries como ‘Black Mirror’, ‘A Casa de Papel’ e a nova temporada de ‘Peaky Blinders’ podem estar na origem do aumento de subscritores, avança a ‘Reuters’.

No terceiro trimestre de 2019, a companhia de streaming adicionou um total de 6,77 milhões de subscritores no mundo, sendo que os analistas previam um aumento de 6,73 milhões de assinantes. Ainda assim, o número de assinantes da empresa nos Estados Unidos não apresentou um crescimento tão favorável quanto o esperado, estabelecendo-se em 520 mil, cerca de 282 mil abaixo do previsto.

Com a entrada de novos serviços de streaming nos meses que se avizinham, as perspetivas ficam aquém para a Netflix, que previa mais 9,4 milhões de subscritores até ao fim do ano, sendo esperados então mais 7,6 milhões de assinantes da empresa de Hastings.

Foi esta competição com a Disney+, Amazon Prime e HBO que esteve a pesar nas ações da empresa, sendo que os títulos caíram perto de 22% desde a última divulgação de resultados no passado mês de julho. Ainda assim, o lucro líquido no terceiro trimestre aumentou para 665 milhões de dólares (600 milhões de euros), o equivalente a 1,47 dólares (1,33 euros) por cada ação negociada.

A receita total aumentou para 5,25 mil milhões de dólares (4,74 mil milhões de euros) contra os quatro mil milhões de dólares (3,61 mil milhões de euros) registados no trimestre anterior.

Ler mais
Relacionadas

Da televisão à logística. Empresas usam o digital para criar impacto no cliente

Representantes da Media Capital e da Maersk estiveram na conferência “Digital Power 2019”, organizada pelo Impacting Group e a qual o Jornal Económico é ‘media partner’, a explicar como a tecnologia impactou os seus negócios.

Apple bate concorrência com televisão e serviço de jogos premium a 4,99 dólares por mês

Apesar de esta terça-feira ser o dia da apresentação oficial do iPhone 11, o diretor-executivo da Apple decidiu começar a apresentação com os serviços conhecidos e esperados pelo público internacional.

Apple investe 5,4 mil milhões de euros em streaming para combater com Netflix e Disney+

O gigante tecnológico vai combater com a Netflix, HBO, Amazon e Disney, também com conteúdos próprios, sendo que se comprometeu a investir mais de 6 mil milhões de dólares (5,4 mil milhões de euros) para a produção destes programas e filmes.

Criadores da ‘Guerra dos Tronos’ trocam HBO por Netflix. Contrato é de 179 milhões de euros

“Estamos entusiasmados em dar as boas vindas aos mestres contadores de histórias, David Benioff e Dan Weiss na Netflix”, afirmou Ted Sarandos, diretor de conteúdos da plataforma em comunicado oficial.

Netflix regista quebra nas ações e menos assinantes no segundo trimestre

O aumento dos preços da plataforma de streaming em alguns dos seus principais mercados, entre os quais os Estados Unidos, levou a que as suas ações caíssem quase 10%.
Recomendadas

Deutsche Bank multado em mais de 130 milhões de euros após Epstein usar contas do banco para silenciar vítimas

De acordo com o “The New York Times”, o Deutsche Bank não fez “muitas perguntas” a Epstein para o ter como cliente. Nem mesmo quando foi observada a retirada de 100 mil dólares (88,6 mil euros) das contas do falecido multimilionário para “gorjetas e despesas domésticas”.

Lufthansa vai cortar mil empregos administrativos e reduzir novas aeronaves a metade

Como parte do plano de reestruturação, a companhia aérea anunciou que os cortes nos postos de trabalho vão incluir também os cargos administrativos e de gestão.

Crise no mercado de retalho deve ser pior do que crise de 2009

Quando a recuperação económica chegar, a publicação estima que esta seja lenta, uma vez que a maioria dos mercados afetados pela crise de 2008/2009 demorou perto de um ano até que as vendas retomassem a níveis pré-crise.
Comentários