Netflix ganhou mais 8,8 milhões de subscritores para um total de 167 milhões

Para o primeiro trimestre de 2020, a Netflix prevê um crescimento de sete milhões de novos subscritores. Em 2019, igual período, a Netflix captou mais 9,6 milhões de subscritores, no que foi um trimestre histórico, quando a plataforma cresceu mais.

Numa altura em que o panorama televisivo vê aumentar a concorrência das plataformas de streaming (em Portugal operam Netflix, HBO, Amozon Prime Video e Apple TV+ e em breve Disney), a Netflix registou um crescimento no número de subscritores na ordem dos 8,76 milhões no último trimestre de 2019, contabilizando assim um número total de 167 milhões de clientes em todo o mundo. Nos últimos doze meses, a plataforma de streaming captou 27,8 milhões de novos subscritores.

Os dados relativos ao último trimestre, divulgados na terça-feira no que ao valor de adições líquidas ficaram acima das previsões (7,6 milhões). A empresa reportou também um volume de negócios de 5,5 mil milhões de dólares (4,9 mil milhões de euros) entre outubro e dezembro, o que corresponde a um crescimento de 31% no volume de negócios em período homólogo, e um lucro líquido de 587 milhões de dólares (529,4 milhões de euros) um valor quase quatro vezes superior aos ganhos em igual período em 2018.

A empresa registou crescimentos significativos nos principais indicadores, sendo o número de assinantes uma das rubricas mais interessantes para os investidores medirem a dimensão da Netflix. O principal mercado para a Netflix é o dos Estados Unidos, onde o grosso da sua produção de séries e filmes tem origem, mas o facto de o mercado norte-americano ser também o mais competitivo, esta empresa de streaming aponta a sua estratégia de crescimento para fora do continente norte-americano – foi na América do Norte que o número de subscritores registou o menor crescimento, registando apenas 550 mil novos assinantes.

É na América do Norte que a Netflix tem mais subscritores, mas com os sinais de estagnação nos EUA a empresa poderá reforçar a sua presença na Europa, onde conta já com 51,8 milhões de subscritores. O terceiro maior mercado é o da América do Sul, onde conta já com 31,4 milhões de clientes. Na Ásia conta apenas com 16,2 milhões de assinantes.

Para o primeiro trimestre de 2020 – meses entre janeiro e março -, a Netflix prevê um crescimento de 7 milhões de novos subscritores. Em 2019, igual período, a Netflix captou mais 9,6 milhões de subscritores – foi o trimestre histórico, onde a plataforma cresceu mais.

A Netflix opera em Portugal desde outubro de 2015.

Ler mais
Relacionadas

Serviço de ‘streaming’ da Disney chega a Portugal no verão

A plataforma de televisão ‘on demand’ terá um custo de 6,99 euros por mês e contemplará séries, programas, curtas-metragens e documentários da Disney, Pixar, Marvel, Star Wars, National Geographic, entre outros canais. Saudades do filme “A Dama e o Vagabundo”? Estará logo disponível.

Governo considera proposta do BE para taxar plataformas como a Netflix “completamente deslocada”

Bloquistas propõem que as plataformas de ‘streaming’ passaem a contribuir para o financiamento público do audiovisual e cinema português, por via de uma taxa que já é aplicada a empresas como a Meo, NOS e Vodafone. Por causa da transposição de uma diretiva europeia, Governo não vai acolher proposta do BE.
Recomendadas

BNI Europa agravou prejuízos para 6,6 milhões de euros até junho

O ativo líquido total era em junho passado de 351,5 milhões de euros, neste caso menos 66,5 milhões de euros face a junho de 2019.

Banco de Portugal obriga financeiras em regime de livre prestação de serviços a reporte

Centenas as instituições estão registadas em Portugal como instituições de crédito da União Europeia em regime de livre prestação de serviços e entidades de moeda eletrónica com sede na Europa em regime de livre prestação de serviços, caso dos bancos digitais N26, Openbank ou Revolut.

Transportes Metropolitanos de Lisboa aprovado pelo Conselho Metropolitano

A Área Metropolitana de Lisboa detém a totalidade da empresa, que vai o património da empresa OTLIS – Operadores de Transportes da Região de Lisboa.
Comentários