Netflix ganhou mais 8,8 milhões de subscritores para um total de 167 milhões

Para o primeiro trimestre de 2020, a Netflix prevê um crescimento de sete milhões de novos subscritores. Em 2019, igual período, a Netflix captou mais 9,6 milhões de subscritores, no que foi um trimestre histórico, quando a plataforma cresceu mais.

Numa altura em que o panorama televisivo vê aumentar a concorrência das plataformas de streaming (em Portugal operam Netflix, HBO, Amozon Prime Video e Apple TV+ e em breve Disney), a Netflix registou um crescimento no número de subscritores na ordem dos 8,76 milhões no último trimestre de 2019, contabilizando assim um número total de 167 milhões de clientes em todo o mundo. Nos últimos doze meses, a plataforma de streaming captou 27,8 milhões de novos subscritores.

Os dados relativos ao último trimestre, divulgados na terça-feira no que ao valor de adições líquidas ficaram acima das previsões (7,6 milhões). A empresa reportou também um volume de negócios de 5,5 mil milhões de dólares (4,9 mil milhões de euros) entre outubro e dezembro, o que corresponde a um crescimento de 31% no volume de negócios em período homólogo, e um lucro líquido de 587 milhões de dólares (529,4 milhões de euros) um valor quase quatro vezes superior aos ganhos em igual período em 2018.

A empresa registou crescimentos significativos nos principais indicadores, sendo o número de assinantes uma das rubricas mais interessantes para os investidores medirem a dimensão da Netflix. O principal mercado para a Netflix é o dos Estados Unidos, onde o grosso da sua produção de séries e filmes tem origem, mas o facto de o mercado norte-americano ser também o mais competitivo, esta empresa de streaming aponta a sua estratégia de crescimento para fora do continente norte-americano – foi na América do Norte que o número de subscritores registou o menor crescimento, registando apenas 550 mil novos assinantes.

É na América do Norte que a Netflix tem mais subscritores, mas com os sinais de estagnação nos EUA a empresa poderá reforçar a sua presença na Europa, onde conta já com 51,8 milhões de subscritores. O terceiro maior mercado é o da América do Sul, onde conta já com 31,4 milhões de clientes. Na Ásia conta apenas com 16,2 milhões de assinantes.

Para o primeiro trimestre de 2020 – meses entre janeiro e março -, a Netflix prevê um crescimento de 7 milhões de novos subscritores. Em 2019, igual período, a Netflix captou mais 9,6 milhões de subscritores – foi o trimestre histórico, onde a plataforma cresceu mais.

A Netflix opera em Portugal desde outubro de 2015.

Ler mais
Relacionadas

Serviço de ‘streaming’ da Disney chega a Portugal no verão

A plataforma de televisão ‘on demand’ terá um custo de 6,99 euros por mês e contemplará séries, programas, curtas-metragens e documentários da Disney, Pixar, Marvel, Star Wars, National Geographic, entre outros canais. Saudades do filme “A Dama e o Vagabundo”? Estará logo disponível.

Governo considera proposta do BE para taxar plataformas como a Netflix “completamente deslocada”

Bloquistas propõem que as plataformas de ‘streaming’ passaem a contribuir para o financiamento público do audiovisual e cinema português, por via de uma taxa que já é aplicada a empresas como a Meo, NOS e Vodafone. Por causa da transposição de uma diretiva europeia, Governo não vai acolher proposta do BE.
Recomendadas

Prémios ‘Grandes Escolhas’ elegeram os melhores vinhos nacionais de 2019

A entrega destes 30 prémios decorreu, num jantar em Sangalhos, Anadia, numa cerimónia que pretendeu reconhecer os grandes protagonistas do mundo da enologia e da gastronomia nacionais.

SunEnergy instala 345 painéis solares nos Armazéns Reis de Aveiro

Este contrato de autoconsumo com os Armazéns Reis, empresa que se dedica ao comércio e distribuição de materiais de construção, ‘bricolage’, decoração e jardim, vai permitir uma poupança de 15 mil euros em energia, todos os anos.

Secil com expetativas positivas para 2020 no setor do cimento

De acordo com as estatísticas, o mercado de cimentos em Portugal em 2019 terá crescido cerca de 15% comparativamente ao período homólogo.
Comentários