Nota de zero euros (sim, leu bem) faz furor na Alemanha

Não têm valor comercial e podem ser adquiridas por 2,50 euros no estado alemão de Schleswig-Holstein. Venha conhecer a nota que está a fazer furor na Alemanha.

O Banco Central Europeu autorizou esta semana a emissão de notas de zero euros para coleccionistas e turistas do estado alemão de Schleswig-Holstein, por proposta do grémio turístico de Kiel, a capital do estado.

As notas podem ser adquiridas por um valor de 2,50 euros e têm as características da divisa corrente, já que foram impressas em papel moeda e apresentam todas as medidas de segurança das notas de euro que todos usamos, como os relevos ou as marcas de água.

Quanto ao design, num dos lados surge um dos símbolos mais representativos de Kiel, o navio alemão Gorch Fock II, que se encontra na cidade, enquanto que na outra face, foram combinadas imagens dos monumentos mais representativos da União Europeia, como a Sagrada Família de Barcelona, o Coliseu de Roma ou a Torre Eiffel de Paris.

A iniciativa teve tanto êxito que as 5 mil notas emitidas na primeira remessa esgotaram em apenas 24 horas. No entanto, os responsáveis pela iniciativa já anunciaram uma segunda edição que será colocada à venda dentro de cinco semanas.

Recomendadas

Confiança dos consumidores volta a aumentar em junho

O saldo das expectativas relativas à evolução da situação económica do país aumentou em junho, após ter diminuído ligeiramente no mês precedente, revela esta quinta-feira o INE.

Igreja quer transformar antigos seminários em residências universitárias

Segundo o secretário de Estado do Ensino Superior, o objetivo é dar resposta “imediata e robusta, logo no início do próximo ano letivo”, revelando a impossibilidade de ter 12 mil camas novas já em setembro.

Joana Marques Vidal fala segunda-feira na SEDES sobre “a corrupção e autonomia do Ministério Público”

O evento enquadra-se no Ciclo de Debates “Ao fim de tarde na SEDES com quem sabe”, do qual o Jornal Económico é ‘media partner’. Na palestra, anterior, que decorreu a 24 de junho, o antigo Presidente da República, Ramalho Eanes, alertou que a corrupção “grassa pela sociedade”.
Comentários