Nova modalidade pré-reforma do Governo propõe 25% a 100% do salário-base

Governo negoceia com sindicatos as pré-reformas com suspensão do trabalho, mas garante que já é possível aos funcionários públicos com mais de 65 anos reduzir o horário laboral.

O Governo quer avançar com uma nova modalidade de pré-reforma na função pública, para que os funcionários com 55 anos ou mais possam deixar de trabalhar mas manter parte do salário, noticia o ”Jornal de Negócios”, esta quarta feira.

A proposta, no entanto, está a suscitar algumas críticas: por um lado, envolve alguns membros do Governo, por outro, por admitir que quando há suspensão do trabalho, as pessoas podem receber entre 25% e 100% do salário-base, sem fixar critérios.

Na proposta que chegou aos sindicatos, relativa à pré-reforma por suspensão de prestação do trabalho, o Governo propõe que o montante a pagar seja fixado por ”acordo entre o empregado e o trabalhador, não podendo ser superior à remuneração-base do trabalhador na data do acordo, nem inferior a 25% da referida remuneração”, cita o jornal da Cofina.

Há dois tipos de pré-forma: a que reduz o horário de trabalho (já regulado na lei) e a que consiste na total suspensão de prestação de trabalho (que agora o Governo vem regulamentar). Estas duas modalidades de pré reforma poderão contribuir para maior motivação laboral, melhor conciliação entre a vida pessoal e profissional e ajudar a criar melhores ambientes de trabalho.

Esse montante está sujeito a actualizações, caso hajam aumentos salariais na Função Pública e descontos para a Caixa Geral de Aposentações, já que o tempo conta para a aposentação.

Recomendadas

Banco de Espanha revê em alta previsão de crescimento do país para 6,2% em 2021

A instituição publicou esta segunda-feira o seu relatório trimestral sobre a economia espanhola no qual indica que a melhor evolução da economia está ligada à menor incidência da pandemia de covid-19, ao progresso da vacinação e a uma maior absorção dos fundos europeus.

Von der Leyen: Certificado Covid-19 aprovado num recorde de 62 dias (com áudio)

A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, saudou hoje os responsáveis da presidência portuguesa da União Europeia (UE), Parlamento Europeu (PE) e executivo comunitário por terem conseguido aprovar o certificado digital covid-19 num recorde de 62 dias.

Inflação homóloga aumentou para 1,2% em maio

A classe com maior contributo positivo para a variação mensal do IPC foi a dos ‘transportes’, com uma variação mensal de 0,7% (0,5% no mês anterior e -1,3% em maio de 2020). Em sentido inverso, a classe com maior contributo negativo para a taxa de variação mensal do índice total foi a do ‘lazer, recreação e cultura’, com uma variação mensal de -0,6% (-0,3% em abril e -1,6% em maio de 2020).
Comentários