Nova proposta do presidente do Conselho Europeu dá ‘desconto’ de 989 milhões de euros a países frugais

Por país, os descontos anuais da Holanda será de 345 milhões de euros, passando de 1.576 para 1.921 milhões de euros, sendo o Estado Membro que mais beneficia (em termos absolutos) da proposta de Charles Michel.

A nova proposta para o Quadro Financeiro Plurianual (QFP) 2021-2027 apresentado esta tarde pelo presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, prevê um aumento dos descontos anuais para os quatro ‘frugais’ que são contribuintes líquidos do orçamento da União Europeia.

Face à proposta avançada inicialmente pela Comissão Europeia, a Holanda, a Dinamarca, a Suécia e a Áustria vão ter um rebate conjunto de cerca de 989 milhões de euros, segundo a proposta disponibilizada pelo Politico Europe. Se for aprovada esta proposta, este será o montante que os quatro países ‘frugais’ não vão entregar aos cofres europeus no quadro do QFP.

Por país, os descontos anuais da Holanda aumentam 345 milhões de euros, passando de 1.576 para 1.921 milhões de euros, sendo o Estado Membro que mais beneficia (em termos absolutos) da proposta de Charles Michel.

Segue-se a Àustria, com o rebate a crescer 298 milhões de euros, uma vez que o desconto passou de 287 milhões para 565 milhões. Já a Suécia vai contribuir para o QFP menos 246 milhões de euros do que o inicialmente previsto, com os descontos a subirem de 893 milhões para 1.069 milhões de euros. Dos quatro frugais, a Dinamarca é quem beneficia menos com a proposta do presidente do Conselho Europeu: o tamanho do desconte cresce cem milhões de euros, com os rebates a passarem de 292 milhões para 392 milhões.

Já a Alemanha — que também é um contribuinte líquido do orçamento europeu — mantém o rebate nos 3.671 milhões de euros.

Relacionadas

Charles Michel propõe 390 mil milhões de euros em subvenções, mas Fundo de Recuperação mantém os 750 mil milhões de euros

A proposta que está a ser discutida pelos 27 Estados-membros prevê uma diminuição das verbas das subvenções, mas uma subida dos montantes previstos disponíveis para empréstimos para 360 mil milhões de euros.
Recomendadas

OE2021: “Tempos de implementação” do ‘IVAucher’ serão objeto de avaliação específica

O ‘IVAucher’ é uma das soluções desenhada pelo Governo para estimular o consumo em três dos setores com quebras significativas na atividade em consequência da pandemia de covid-19, prevendo-se que a totalidade do IVA pago pelos consumidores nas despesas em hotéis, restaurantes e atividades culturais realizadas num trimestre, seja abatido em consumos realizados nos mesmos setores no trimestre seguinte.

FMI: “Medidas de apoio são essenciais para garantir o crescimento a médio prazo” na Europa

Diretor do Departamento Europeu do FMI defendeu que os países europeus “têm de fazer o que for preciso para conter a pandemia”, mas também que os países devem ter planos para o médio prazo. Recordou a importância de políticas no apoio à liquidez das empresas, bem como de assegurar que as empresas insolventes, mas viáveis, podem continuar ativas.

Futuro da água, advocacia de negócios, vinhos de Portugal e muito mais: conheça os Especiais do JE em novembro

Os cadernos Especiais e os Suplementos do Jornal Económico são produtos multiplataforma – em papel, online e vídeo – que combinam jornalismo de qualidade com potencial comercial e chegam a uma audiência superior a um milhão de leitores e telespectadores, que compram a edição em papel ou visitam o nosso site todos os meses.
Comentários