Nova proposta do presidente do Conselho Europeu dá ‘desconto’ de 989 milhões de euros a países frugais

Por país, os descontos anuais da Holanda será de 345 milhões de euros, passando de 1.576 para 1.921 milhões de euros, sendo o Estado Membro que mais beneficia (em termos absolutos) da proposta de Charles Michel.

A nova proposta para o Quadro Financeiro Plurianual (QFP) 2021-2027 apresentado esta tarde pelo presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, prevê um aumento dos descontos anuais para os quatro ‘frugais’ que são contribuintes líquidos do orçamento da União Europeia.

Face à proposta avançada inicialmente pela Comissão Europeia, a Holanda, a Dinamarca, a Suécia e a Áustria vão ter um rebate conjunto de cerca de 989 milhões de euros, segundo a proposta disponibilizada pelo Politico Europe. Se for aprovada esta proposta, este será o montante que os quatro países ‘frugais’ não vão entregar aos cofres europeus no quadro do QFP.

Por país, os descontos anuais da Holanda aumentam 345 milhões de euros, passando de 1.576 para 1.921 milhões de euros, sendo o Estado Membro que mais beneficia (em termos absolutos) da proposta de Charles Michel.

Segue-se a Àustria, com o rebate a crescer 298 milhões de euros, uma vez que o desconto passou de 287 milhões para 565 milhões. Já a Suécia vai contribuir para o QFP menos 246 milhões de euros do que o inicialmente previsto, com os descontos a subirem de 893 milhões para 1.069 milhões de euros. Dos quatro frugais, a Dinamarca é quem beneficia menos com a proposta do presidente do Conselho Europeu: o tamanho do desconte cresce cem milhões de euros, com os rebates a passarem de 292 milhões para 392 milhões.

Já a Alemanha — que também é um contribuinte líquido do orçamento europeu — mantém o rebate nos 3.671 milhões de euros.

Relacionadas

Charles Michel propõe 390 mil milhões de euros em subvenções, mas Fundo de Recuperação mantém os 750 mil milhões de euros

A proposta que está a ser discutida pelos 27 Estados-membros prevê uma diminuição das verbas das subvenções, mas uma subida dos montantes previstos disponíveis para empréstimos para 360 mil milhões de euros.
Recomendadas

Deco alerta para “abusos” na cobrança da taxa de entrega de garrafas de gás

Pela segunda vez, em menos de um ano, o Governo volta a fixar preços máximos para o gás engarrafado, mas “há que ter atenção a abusos na cobrança da taxa de entrega”, alerta a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (Deco). Associação revela que alguns distribuidores passaram a cobrar montantes superiores a quatro euros para entregar as garrafas em casa dos consumidores confinados.

Circulação entre concelhos proibida ao fim de semana. Lojas fecham às 20h durante a semana e às 13h ao sábado e domingo

António Costa anunciou hoje as medidas aprovadas pelo Governo para endurecer o atual Estado de Emergência.

Proibida a venda ao postigo de todo o tipo de bebidas nos cafés

O Conselho de Ministros esteve hoje reunido para aprovar novas medidas no âmbito do Estado de Emergência.
Comentários