Nova temporada da Premier League arranca sem limitação de público nos estádios

“Na etapa quatro (do processo de desconfinamento), vamos remover todos os limites legais sobre o número de ajuntamentos internos e externos”, garantiu o primeiro-ministro Boris Johnson. Além disso, “vamos permitir a reabertura de todos os negócios, incluindo discotecas, aumentar o limite de visitantes designados a asilos e o número de pessoas que comparecem a concertos, teatros e eventos desportivos”.

1 – Premier League (8,56 mil milhões de euros)

O governo britânico anunciou que, para a nova temporada da Premier League que inicia a 13 de agosto, não haverá restrições de público nos estádios. A medida vem na sequência do processo de desconfinamento do Reino Unido, que deverá entrar na quarta fase a 19 de julho, segundo o portal “Palco 23”.

Os adeptos foram excluídos das instalações desportivas após o reinício das competições devido à pandemia de Covid-19. Com o tempo, no Reino Unido as limitações foram eliminadas, mas em relação ao futebol, a temporada 2020/2021 foi jogada sem público nas bancadas. O governo de Boris Johnson realizou vários “eventos-teste” com público em abril, como parte de um programa piloto das autoridades sanitárias para perceber se, com testes PCR e certificados de vacinação, poderiam aprovar o regresso dos adeptos ao desporto e do restante público a outros eventos culturais.

“Na etapa quatro (do processo de desconfinamento), vamos remover todos os limites legais sobre o número de ajuntamentos internos e externos”, garantiu o primeiro-ministro Boris Johnson. Além disso, “vamos permitir a reabertura de todos os negócios, incluindo discotecas, aumentar o limite de visitantes designados a asilos e o número de pessoas que comparecem a concertos, teatros e eventos desportivos”.

“Sentimos muita falta dos adeptos, por isso saudamos o anúncio de hoje do governo e esperamos os estádios cheios na temporada 2021-2022”, disse a Premier League através de um comunicado.

“À medida que avançamos em direção a uma decisão do governo sobre a etapa quatro do desconfinamento e além, continuaremos a trabalhar com as partes interessadas do futebol e autoridades públicas relevantes para garantir que o regresso à capacidade total seja realizado de forma a manter todos seguros”, acrescenta a Premier League.

A decisão deve ser ratificada em votação no dia 12 de julho. O regresso do público aos eventos deverá também incluir a eliminação da distância social e o uso obrigatório de máscaras.

A próxima temporada começa a 13 de agosto com um derby de Londres entre o recém-promovido Brentford e o Arsenal FC no Brentford Community Stadium, que tem capacidade para mais de 17 mil espectadores. Os clubes da Premier League puderam abrir para um máximo de 10 mil adeptos ou 25% da capacidade do estádio nos últimos dois dias da última temporada. Por outro lado, para as meias-finais e final do Euro2020, serão permitidos 60 mil pessoas nas bancadas de Wembley.

Recomendadas

Pedro Dias, diretor da FPF para o futsal, distinguido como gestor desportivo do ano

O dirigente federativo responsável pelo futsal, modalidade onde Portugal é campeão europeu e mundial, destacou, em declarações ao site da FPF, que “os resultados alcançados pelo futsal a nível internacional e que colocam Portugal como a maior potência desportiva mundial. Galardão foi atribuído pela Associação Portuguesa de Gestão do Desporto

PremiumAbel bicampeão. Isto sim, não se voltará a ver nos próximos 50 anos

Daqui a 50 anos, vão lembrar-se que foi um português que conquistou a Libertadores”. Na véspera do último dia de 2019, Jorge Jesus era exultado pelo país futebolístico, levado “em ombros” por uma onda mediática de enormes proporções (horas e horas de diretos e peças jornalísticas).

Milhões da Champions, empréstimo obrigacionista e compra de dívida: que impacto nas contas do Sporting? Veja o “Jogo Económico”

O Sporting é, neste momento, o clube português que mais lucrou na Liga dos Campeões: 45,01 milhões de euros dos 130,9 milhões ganhos por clubes portugueses nesta Liga. Que impacto pode ter o empréstimo obrigacionista e a compra da dívida nas contas da SAD. Tudo para ver na edição desta semana do “Jogo Económico”.
Comentários