Novabase e BCP penalizam PSI-20 na última sessão da semana

A tecnológica portuguesa afundou 6,27% para 3,74 euros, na sequência de o resultado líquido ter caído 63,3% em 2020, comparativamente ao ano anterior, para 7,5 milhões de euros. Na Europa, o sentimento é igualmente pessimista no fecho das negociações desta sexta-feira.

Cristina Bernardo

A bolsa de Lisboa encerrou a sessão desta sexta-feira – a última da semana – em terreno negativo, acompanhando o sentimento pessimista das suas congéneres europeias. O índice português PSI-20 caiu 1,78% para 4.702,19 pontos, penalizado essencialmente pelas fortes quedas do BCP e da Novabase, duas cotadas que ontem apresentaram contas.

A tecnológica afundou 6,27% para 3,74 euros, na sequência de o lucro (resultado líquido) ter caído 63,3% em 2020, comparativamente ao ano anterior, para 7,5 milhões de euros. Por outro lado, o volume de negócios subiu 10% para 125 milhões de euros, mais uma vez devido ao impacto positivo do segmento das tecnologias de nova geração (Next-Gen), que representou 73% desse montante.

Por sua vez, as ações do banco liderado por Miguel Maya caíram 2,82% para 0,1172 euros, um dia depois de reportr um resultado líquido de 183 milhões de euros, o que traduziu numa queda homóloga de 39,4% devido ao contexto de pandemia Covid-19 e às provisões para riscos legais associados a créditos em francos suíços concedidos na Polónia.

“As praças europeias encerram a última sessão da semana no vermelho, com as perdas a serem generalizadas a quase todos os setores no universo Stoxx600. O automóvel foi o único a contrariar as perdas”, destacou Ramiro Loureiro, trader do Millennium bcp, numa nota de mercado.

No resto da Europa, reina igualmente 0 ‘encarnado’. O índice britânico FTSE 100 caiu 2,53%, o alemão DAX deslizou 0,67%, o espanhol IBEX 35 resvalou 1,12%, o francês CAC 40 desceu 1,40%, o holandês AEX perdeu 1,99% e o Euro Stoxx 50 ficou marcado por uma desvalorização de 1,33%.

Nas matérias-primas, o valor do ‘ouro negro’ está a cair mais de 1%. O preço do petróleo WTI, produzido no Texas, afunda 2,44% para os 61,98 dólares por barril, enquanto a cotação do barril de Brent está a desvalorizar 1,89% para os 64,86 dólares.

Quanto ao mercado cambial, o euro desvaloriza 0,82% face ao dólar, para os 1,2077 dólares, enquanto a libra esterlina recua 0,55% face à moeda dos Estados Unidos, para os 1,3937 dólares.

Ler mais

Recomendadas

Novos impostos sobre capital arruínam o dia em Wall Street

Não é uma notícia confirmada, apenas um rumor: a administração Biden pode estar a preparar novos impostos sobre os grandes salários e sobre os rendimentos do capital. Wall Street tremeu de imediato.

“Mercados em Ação”. “Principal fator para a força do euro é a fraqueza do dólar”

“Penso que os dois fatores contribuem. O principal fator que contribui para a força do euro será a fraqueza do dólar, neste momento. Claro que temos também o aumento do apetite pelo risco”, salientou o analista sénior Ricardo Evangelista no programa da JE TV.

Grupo EDP dispara em bolsa em reação ao compromisso de redução de emissões em 50% dos EUA

O grupo energético português juntou-se a mais 406 empresas que pediram à administração de Joe Biden que assumisse compromissos climáticos mais “ambiciosos” no dia em que decorre a Cimeira para o Clima.
Comentários