Novas tarifas de Trump terão impacto de 1% no comércio internacional em 2020

A AP Moller-Maersk, empresa que realiza cerca de 20% do comércio marítimo mundial, estima que as tarifas já impostas pelos Estados Unidos tenham minado o comércio mundial em 0,5% este ano, e antecipa que o cenário piore em 2020.

Jim Lo Scalzo/REUTERS

A empresa especializada em transporte naval de mercadorias AP Moller-Maersk, estima que com as novas taxas de importações sobre os produtos chineses, avaliadas em 300 mil milhões de dólares, estas poderão impactar em cerca de 1% a procura global no comércio mundial.

De acordo com a plataforma de análise de mercados espanhola IG, as taxas impostas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e que vão entrar em vigor no próximo ano, poderão minar o comércio internacional mais uma vez, o que por sua vez poderá aumentar o risco de recessão económica no país.

Segundo os cálculos do site, o primeiro impacto do aumento destas taxas na economia verificou-se em abril quando o comércio desacelerou em cerca de 0,5%.

Da mesma forma, a empresa de navegação, que realiza cerca de 20% do comércio marítimo mundial, mostrou que, como resultado do aumento das barreiras à entrada de produtos da China, os importadores dos EUA já transferiram as suas compras para outros países da região como Vietname, Coreia do Sul, Tailândia ou Índia, ou países vizinhos como o México.

Recomendadas

Simulações. Sabe quanto vai descontar de IRS em 2020? Isenções para quem ganha até 659 euros por mês

O Governo publicou hoje as novas tabelas de retenção na fonte a aplicar aos rendimentos de trabalho dependentes e de pensões em 2020. Veja aqui as simulações.

Agência do Ambiente deverá dar hoje ‘luz verde’ ao aeroporto do Montijo

O Governo tem estado a apostar as fichas todas na viabilização ambiental deste projeto, mas não se sabe qual será o impacto das queixas já apresentadas na justiça portuguesa e comunitária para impedir o avanço deste empreendimento.

Reutilização de recursos em queda. Economia mundial é apenas 8,6% circular

A quantidade total de recursos que entra na economia global aumentou 8,4% em apenas dois anos. De acordo com o novo relatório da organização Circle Economy, que será apresentado em Davos, o consumo mundial de novos recursos traduz-se em 100 mil milhões de toneladas, um novo máximo histórico.
Comentários