Novas tarifas de Trump terão impacto de 1% no comércio internacional em 2020

A AP Moller-Maersk, empresa que realiza cerca de 20% do comércio marítimo mundial, estima que as tarifas já impostas pelos Estados Unidos tenham minado o comércio mundial em 0,5% este ano, e antecipa que o cenário piore em 2020.

Jim Lo Scalzo/REUTERS

A empresa especializada em transporte naval de mercadorias AP Moller-Maersk, estima que com as novas taxas de importações sobre os produtos chineses, avaliadas em 300 mil milhões de dólares, estas poderão impactar em cerca de 1% a procura global no comércio mundial.

De acordo com a plataforma de análise de mercados espanhola IG, as taxas impostas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e que vão entrar em vigor no próximo ano, poderão minar o comércio internacional mais uma vez, o que por sua vez poderá aumentar o risco de recessão económica no país.

Segundo os cálculos do site, o primeiro impacto do aumento destas taxas na economia verificou-se em abril quando o comércio desacelerou em cerca de 0,5%.

Da mesma forma, a empresa de navegação, que realiza cerca de 20% do comércio marítimo mundial, mostrou que, como resultado do aumento das barreiras à entrada de produtos da China, os importadores dos EUA já transferiram as suas compras para outros países da região como Vietname, Coreia do Sul, Tailândia ou Índia, ou países vizinhos como o México.

Recomendadas

Movimento cívico alerta para consequências da exploração de lítio na Serra d’Arga

A ação, promovida pelo Movimento de Defesa do Ambiente e Património do Alto Minho, pretende sensibilizar para a “calamidade da exploração mineira massiva” na serra d’Arga e “parar” um projeto que “põe em causa 20%” daquele território.
greve_motoristas_materias_perigosas_camionistas_3

Fisco suaviza regras da tributação autónoma das ajudas de custo pagas por transportadoras

Numa informação vinculativa agora publicada, a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) precisa que “sendo tais gastos [as ajudas de custo] efetivamente faturados aos clientes (ainda que por inclusão no montante total debitado) não ficam sujeitos à tributação autónoma”, prevista no Código do IRC.

Aluguer de quartos: preços médios sobem mas procura não se ressente

“Este estudo aponta uma tendência clara: apesar da notória subida do preço médio dos quartos para arrendar, a procura não parece ressentir-se. Antes pelo contrário”, sublinha Andreia Pacheco, brand manager do OLX Portugal.
Comentários