Número de hóspedes em Cabo Verde aumentou 7% no segundo trimestre

A ilha do Sal foi a mais procurada, o que representa 48,7% das dormidas nos estabelecimentos hoteleiros, de acordo com o INE cabo-verdiano.

O número de hóspedes em Cabo Verde aumentou 7% no segundo trimestre de 2019 e as dormidas 5,3% face ao período homólogo de 2018, revelou o relatório de Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes, publicadas pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) cabo-verdiano.

De acordo com o INE, entraram no pais mais 11.703 turistas do que em igual período do ano transato, os estabelecimentos hoteleiros acolheram cerca de 179 mil hóspedes.

As estatísticas indicam que as dormidas atingiram cerca de um milhão e 137 mil no período em análise, traduzindo-se numa variação positiva de 5,3%, em relação ao segundo trimestre de 2018, e que em termos absolutos, houve um aumento de 57.295 dormidas.

Os dados do INE referem que o Reino Unido continua a ser o principal emissor de turistas com uma estadia média de 8,2 por noites.

A ilha do Sal foi a mais procurada pelos turistas, o que representa 48,7% das dormidas nos estabelecimentos hoteleiros.

Os hotéis continuam sendo os mais procurados pelos turistas, contabilizando 87,9% do total das entradas. Seguem-se as pensões com cerca de 4,1%, as residenciais com 3,4% e os aldeamentos turísticos com 2,6%.

Relativamente às dormidas, os hotéis representam 93,2%, os aldeamentos turísticos 2,5% e as pensões 1,9%. A ilha do Sal continua a ter maior acolhimento, com 42,5% do total das entradas, seguido da ilha da Boa Vista, com 31,9% e Santiago com 12,6%. Também em relação às dormidas, o Sal lidera com 48,7%, seguido da Boa Vista com 40,8% e Santiago com 4,9%.

O principal mercado emissor de turistas continua sendo o Reino Unido com 26,6% do total das entradas, seguindo-se Portugal, França, Alemanha, Bélgica e Holanda, responsáveis por 12,1%, 11,0%, 10,9% e 8,4% das entradas, respetivamente.

Os dados indicam ainda que, quanto às dormidas, também os ingleses continuam em primeiro lugar com 34,5% do total, seguido de Alemanha, Portugal, Bélgica-Holanda (Países-Baixos), e França, com 12,8%; 9,6%, 9,1% e 8,8% respetivamente.

Durante o segundo trimestre de 2019, em média, a taxa de ocupação-cama, a nível geral, foi de 49%, contra os 47% registados no trimestre homólogo, sendo que as ilhas da Boa Vista e do Sal com as maiores taxas de ocupação – cama com 72% e 52%, respetivamente.

Os dados do organismo de estatística cabo-verdiano indicam que, em relação aos movimentos de navios nos portos de Cabo Verde, houve uma diminuição de 13%, no segundo trimestre de 2019, comparado com o mesmo período do ano passado e que o número de passageiros movimentados, diminuiu em quase 8%.

Entretanto, isto não afetou o movimento de mercadorias nos portos, que aumentou 3%. Nos aeroportos e aeródromos, registou-se um aumento de 13,6% na tonelada de cargas movimentadas e a 3% no movimento de passageiros.

Ler mais
Recomendadas

Empresários russos interessados em investir nas pescas em Cabo Verde

“Ficaram de fazer uma visita a Cabo Verde antes do final do ano para recolherem dados mais precisos e assim poderem preparar o seu projecto definitivo”, disse o ministro do Turismo e da Economia Marítima cabo-verdiano.

Presidente promulga com “dúvidas” venda de banco da Caixa em Cabo Verde

A CGD está a vender o Banco Comercial do Atlântico, um dos dois detidos pelo grupo bancário público em Cabo Verde, mantendo a sua participação no banco Interatlântico.

Ilha do Fogo vai acolher 10ª reunião do Conselho de Ministros do Turismo da CPLP

“Cabo Verde tem feito o gesto de abrir cada vez mais a nossa fronteira com a isenção de vistos, mas ainda estamos longe de ter este nível de correspondência dos demais países”, diz o ministro do Turismo cabo-verdiano.
Comentários