“O que é que Vítor Constâncio está lá a fazer?”: Belém “indignado” com BCE

Ameaça de sanções a Portugal por parte do BCE e inação do antigo Governador do Banco de Portugal surpreendeu e indignou Belém, noticia o jornal Expresso.

Foto: Cristina Bernardo

A presidência da República ficou indignada e criticou a posição de Vítor Constâncio sobre a possibilidade do Banco Central Europeu (BCE) poder aplicar uma multa a Portugal por desequilíbrios macroeconómicos excessivos, avança o jornal Expresso.

Segundo a edição online do semanário, a presidência considera que “é inacreditável e inaceitável” que Vítor Constâncio, atual vice-presidente do BCE, aceite a aplicação de sanções ao país, questionando “o que é que Vítor Constâncio está lá a fazer” .

O BCE referiu no boletim económico mensal que apesar de ter já identificado seis países com desequilíbrios excessivos nos quais se inclui Portugal, além da Bulgária, França, Croácia, Itália e Chipre, “não está a propor, nesta fase, ativar o procedimento relativo aos desequilíbrios excessivos (isto é, a vertente correctiva do procedimento)”.

No entanto, o BCE adianta que “embora a Comissão não tenha atualmente ativado a vertente corretiva, anunciou que três dos países com desequilíbrios excessivos (Itália, Chipre e Portugal) foram pedidos a propor políticas particularmente ambiciosas nos seus programas nacionais de reformas (que devem ser submetidas até abril de 2017)”.

Avisou, contudo, que “se esses programas não incluírem as medidas exigidas, o procedimento de desequilíbrio excessivo poderá ser iniciado em maio. Para cada país avaliado como tendo um desequilíbrio ou desequilíbrio excessivo, a Comissão irá conduzir uma missão de monitorização específica, apropriada para a severidade do desequilíbrio”.

A Comissão Europeia, no relatório publicado no final de fevereiro, considerou que a economia portuguesa continua a ser marcada por desequilíbrios excessivos. Entre os principais problemas identificados por Bruxelas encontram-se o endividamento público e privado, o crédito malparado, o desemprego e a baixa produtividade.

[Atualizada às 16h47]

Ler mais

Recomendadas

Zona Franca da Madeira: Bloco diz que decisão de Bruxelas põe em causa a capacidade da Autoridade Tributária nacional e regional de exercerem fiscalização

O Bloco quer ouvir com urgência no Parlamento o Governo depois de Bruxelas concluir que a “aplicação do regime de auxílios da Zona Franca da Madeira em Portugal” não cumpre as regras europeias. O BE deixa críticas à falta de fiscalização por parte da Autoridade Tributária central e da AT da Região Autónoma da Madeira. “A Zona Franca da Madeira continuou a ser utilizada para esquemas de planeamento fiscal agressivo”, disse a deputada Mariana Mortágua. Governo regional e a sociedade que gere a Zona Franca discordam das conclusões de Bruxelas.

Personalidades JE: Aníbal Cavaco Silva – Dez anos Presidente depois de uma década de Cavaquismo

Foi pela mão de Sá Carneiro que Cavaco Silva entrou na vida política “e foi nele que procurei inspiração no exercício das funções de Primeiro-Ministro”, como referiu na apresentação do seu último livro. Deixa para a história uma obra mais marcante nos dez anos em que liderou o Governo, nos quais viabilizou em Portugal investimentos tão relevantes como a Autoeuropa, a barragem do Alqueva ou a revitalização urbanística da Expo98. Depois do “Cavaquismo” foi Presidente da República durante outros 10 anos.

Apoio nas áreas da circulação, formação e investigação chega a 115 projetos, diz Direção-Geral das Artes

O Programa de Apoio a Projetos – Procedimento Simplificado, da Direção-Geral das Artes, nas áreas da circulação nacional, formação e investigação, vai apoiar 115 das 130 candidaturas apresentadas, anunciaram esta sexta-feira os serviços daquele organismo do Ministério da Cultura.
Comentários