Covid-19: Plano de Vacinação é apresentado esta quinta-feira. O que já se sabe?

Plano é apresentado esta quinta-feira mas já se sabem alguns detalhes: as vacinas serão “gratuitas e facultativas”, o processo será demorado (podendo demorar vários meses) e haverá “maior escassez na existência de vacinas” durante o primeiro trimestre de 2021.

Karoly Arvai/Reuters

Depois do Governo ter anunciado o investimento de 200 milhões de euros para a aquisição de 22 milhões de doses de vacinas contra o novo coronavírus, foi criada uma task force cujo objetivo passou por planificar a estratégia nacional de vacinação contra a Covid-19. Esse mesmo organismo, criado especialmente para o efeito, apresentará esta quinta-feira os detalhes sobre como é que vão ser distribuídas as doses encomendadas para Portugal.

O primeiro-ministro, António Costa, adiantou que a operação logística já esta a ser montada “para receber, armazenar, distribuir de acordo com os critérios” e vincou que “vai ser bem organizado e tem de correr bem. Não pode falhar”.

Ainda assim, Marta Temido avisou que “temos uma expectativa elevada em relação a este processo, mas temos de ter a perceção que este processo de vacinação vai ser longo. Durante vários meses do ano que vem não nos podemos afastar das regras que têm estado em vigor até agora”.

A ministra da saúde também deixou claro que “as vacinas serão administradas no SNS, serão gratuitas e facultativas”. Marta Temido alertou para a probabilidade de no primeiro trimestre de 2021 haver “maior escassez de vacinas”.

Ainda assim, apesar da iminente apresentação do plano português de vacinação contra a Covid-19, a ministra da saúde sublinhou que ainda não são conhecidos “os resultados dos ensaios clínicos da fase 3” das vacinas – a última fase de um ensaio prévia à autorização para introdução da vacina no mercado pelo que a eficácia do medicamento ainda terá de ser avaliada pela agência europeia do medicamento.

Neste contexto, será conhecida a avalização da vacina da Pfizer a 29 de dezembro, e a da Moderna a 9 de janeiro. Os ensaios clínicos que são publicados dizem respeito, maioritariamente, a pessoas entre os 18 e os 55 anos de idade. Adicionalmente, não é conhecida a duração da imunidade da vacinação, e os dados disponíveis não recomendam a vacinação de crianças e grávidas.

A Pfizer espera vacinar 300 mil portugueses numa primeira fase, disse hoje à rádio TSF o diretor-geral da farmacêutica em Portugal.”Diria que numa primeira fase vão ser vacinados 300 mil portugueses, tendo em conta que são duas doses da vacina” disse hoje Paulo Teixeira. Portugal vai receber um total de 4,6 milhões de doses da vacina da Pfizer/BionNTech, avançou.A Pfizer espera que a sua vacina seja aprovada antes do final do ano, depois as vacinas” vão ser rapidamente distribuídas”, sendo transportadas para todos os países europeus “ao mesmo tempo”, garantiu, num total de 25 milhões de vacinas distribuídas pelos países da União Europeia.

Ler mais
Recomendadas

Covid-19 duplica incidência em Espanha e já provocou perto de 2.500 mortos em 2021

O número de infeções por Covid-19 duplicaram em Espanha, nos primeiros 15 dias de 2021, com mais 300 mil novos contágios e 2.477 mortes, segundo números das autoridades sanitárias.

Covid-19: Índia anuncia mais 175 mortes e 15 mil casos no dia em que arranca vacinação

A Índia registou 175 mortes por covid-19 e 15.158 casos nas últimas 24 horas, informaram hoje as autoridades indianas, no mesmo dia em que começou a campanha de vacinação naquele país, o segundo mais populoso do mundo.

Governo português assegura contacto com a Comissão sobre entregas da vacina da Pfizer

O Govrno português mostra-se atento ao processo de entrega das vacinas da Pfizer no continente europeu, depois do anúncio da farmacêutica de que iria disponibilizar menos vacinas à medida que aumenta a produção.
Comentários