Odemira: “Consideramos que pode ser levantada a cerca sanitária”, diz António Costa

“Nestes 15 dias tivemos uma evolução muito significativa da taxa de incidência e temos seguramente uma diminuição muito significativa do ritmo de transmissão”, justificou o primeiro-ministro.

António Cotrim / Lusa

Depois de o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa ter anunciado que seria levantada a cerca sanitária, o primeiro-ministro confirmou essa mesma informação, esta terça-feira, a partir de Odemira.

Em declarações aos jornalistas, António Costa referiu que “não havendo transmissão comunitária” e a “manter-se uma situação decrescente de casos, consideramos que pode ser levantada a cerca sanitária nas freguesias de Santo António e de Longueira Almograve”.

“Nestes 15 dias tivemos uma evolução muito significativa da taxa de incidência e temos seguramente uma diminuição muito significativa do ritmo de transmissão”, referiu o primeiro-ministro.

António Costa lembrou ainda que “adotamos um conjunto de outras medidas de aumento da vacinação, de aumento da testagem, da criação de equipas que têm multidisciplinares, que têm procurado fazer o acompanhamento da situação não só nos locais de trabalho, mas também nas visitas residenciais, detetando muitas situações de clara insalubridade”.

Ainda assim, o primeiro-ministro avisa que “levantada a cerca sanitária não significa que o problema tenha desaparecido, o problema existe aqui em Odemira e em todo o país”.

Umas horas antes o Presidente da República já tinha feito o mesmo anuncio. “Fui informado pelo primeiro-ministro de que, assim sendo, seria levantada a cerca sanitária de imediato, hoje mesmo. O que significa que acabou por fazer caminho uma solução de que se falou há uns dias, que era uma situação que permitisse ultrapassar, por um lado, as questões jurídicas e, por outro lado, as questões pessoais e sociais”, disse Marcelo aos jornalistas.

 

 

 

Relacionadas

Marcelo anuncia que cerca sanitária de Odemira é levantada hoje

O Presidente considerou ainda que o país “tem de retirar muitas consequências políticas” quanto aos trabalhadores em situação precária em Odemira.

CAP solicita ao Governo a apresentação dos resultados das inspeções realizadas em Odemira

A exigência é direcionada à ministra do Trabalho e da Segurança Social, Ana Mendes Godinho, que vai presidir amanhã, dia 12 de maio, à reunião do Conselho Permanente de Concertação Social.

Respostas Rápidas. Governo alega interesse público e insiste na requisição civil do Zmar. O que se segue?

O Governo já apresentou um recurso em tribunal à providência cautelar que bloqueia a requisição civil ao complexo turístico do Zmar. Seguem-se novas negociações com todos os intervenientes políticos e sociais sobre o realojamento dos 13 imigrantes que ainda permanecem nos ‘bungalows’ e que o Governo não tem onde alojar.
Recomendadas

Presidente da República: “Comigo não vai haver” volta atrás no desconfinamento

O chefe de Estado defendeu que “o não voltar atrás exige às pessoas viverem à medida disso”, que, se querem que não se volte atrás, “têm que ter bom senso no respeito das regras sanitárias”, que aos eleitos para governar cabe decidir e aos especialistas “chamar a atenção para o juízo que as pessoas devem ter”.

PremiumNuno Palma: “O licenciado Pacheco Pereira é um académico falhado”

Na sequência da polémica levantada pela sua intervenção na Convenção do MEL, o professor da Universidade de Manchester Nuno Palma diz que “não há grande diferença entre Donald Trump e políticos como Pedro Marques, Ana Catarina Mendes, Miguel Costa Matos ou Pacheco Pereira”

Bloco de Esquerda ataca ministro do Ambiente e exige mudanças na regulação da extração mineira

Estas posições foram transmitidas pela coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, durante a apresentação do candidato bloquista à presidência da Câmara de Setúbal, Fernando Pinho, num discurso em que também criticou o executivo desta autarquia, de maioria CDU, de ser “centralista” e “aliado” do Governo em vários domínios.
Comentários