OE2019: Novas progressões da função pública pagas na totalidade nesta legislatura

Ministro das Finanças reuniu com sindicatos da função pública mas não foi entregue ainda nenhuma proposta. Governo cedeu ainda assim à reivindicação dos sindicatos sobre as novas progressões.

O Governo cedeu às reivindicações dos sindicatos e da esquerda e vai alterar o modelo de pagamento do acréscimo salarial das novas progressões das carreiras da função pública no próximo ano.

Em declarações ao Jornal Económico, o líder da Federação dos Sindicato dos trabalhadores da Administração Publica (FESAP), José Abraão, revelou que a fórmula acordada entre o ministro das Finanças e os sindicatos para o Orçamento do Estado para 2019 (OE2019) prevê o pagamento integral do acréscimo remuneratório no próximo ano e não até 2020 como chegou a ser proposto pelo executivo.

Os efeitos da medida serão, assim, sentidos ainda durante esta legislatura e não para além de 2019. No entanto, não está ainda definido o modelo de faseamento, mas José Abraão antecipa a possibilidade que 75% do acréscimo remuneratório seja pago em maio e os 100% em dezembro.

Este ano, os funcionários públicos que progrediram na carreira em função do descongelamento da carreira inscrito no OE2018 receberam 50% do acréscimo remuneratório, numa modelo que contemplou quatro fases. Ou seja, 25% da valorização salarial foi paga em janeiro, seguida pela segunda tranche de 25% a 1 de setembro, já em em 2019, a 1 de maio os funcionários irão receber 75% e a 1 de Dezembro os 100%.

A medida agora negociada aplica-se a todos os funcionários que reúnam os dez pontos na avaliação de desempenho – o critério para progredir – a 1 de janeiro de 2019.

José Abraão revela, no entanto, que no que concerne aos aumentos salariais não existem ainda avanços nas negociações, estando prevista uma nova reunião entre os sindicatos e o Governo para a próxima semana.

Ler mais
Relacionadas

Redução do IVA na potência contratada só reduz fatura da luz em 9 euros por ano

Bloco de Esquerda alerta: descida do IVA da parte da potência contratada da fatura, por si só, é uma medida que valeria, numa fatura média, 9 euros ao ano. Ou seja, o equivalente a 0,60 cêntimos ou 0,70 cêntimos numa fatura mensal. Bloquistas defendem que não é suficiente para baixar a conta da luz, até porque o custo da eletricidade está a subir muito.

Governo reúne-se amanhã em Conselho de Ministros. OE2019 vai ser debatido

A proposta do Governo de Orçamento do Estado prevê em 2019 um crescimento de 2,2%, um défice de 0,2%, um desemprego de 6,3% e uma redução da dívida pública para 117% do Produto Interno Bruto.

PremiumOE2019: As medidas com impacto no bolso das famílias e empresas

Governo continua a negociar com a esquerda e os sindicatos as medidas que serão inscritas no próximo Orçamento. Veja aqui as que já são conhecidas.
Recomendadas

Orçamento segue tendência dos anteriores, defendem especialistas

O Jornal Económico ouviu as opiniões de nove especialistas,a respeito do Orçamento do Estado para 2019.

Orçamento da Madeira aprovado

Os diplomas foram aprovados com os votos favoráveis da maioria do PSD e a abstenção do CDS-PP.

António Costa diz que só “iluminação divina” justificaria renegociação do Brexit

“Renegociar o quê? Tudo aquilo que tenho visto como críticas, aliás contraditórias, ao tratado, são pontos que não é possível mais renegociar”, disse o primeiro-ministro.
Comentários