OE2021: Catarina Martins diz que viabilização pelo BE está do lado do Governo

A coordenadora do Bloco de Esquerda avisou hoje que a viabilização pelo partido do Orçamento do Estado na generalidade está do lado do Governo, registando a marcação de negociações após declarações “destemperadas” do PS.

catarina_martins_oe_2020
António Cotrim/Lusa

Em declarações aos jornalistas à margem de uma visita ao Centro de Controlo Oceânico da NAV Portugal na ilha de Santa Maria, no âmbito da campanha para as eleições regionais dos Açores, Catarina Martins sublinhou que, “olhando para as letras miudinhas” do Orçamento do Estado para 2021, percebe-se que o que “está anunciado não terá repercussão nenhuma na vida das pessoas e não responde às necessidades do país”.

“O que precisamos não é de um Orçamento que faz anúncios mais ou menos iguais aos anúncios do Orçamento passado. O que precisamos é de um Orçamento que responda mesmo por um ano muito duro de crise com muita responsabilidade. E para isso é preciso a proteção social para acudir às vitimas da crise. E para isso é preciso que o SNS tenha os profissionais [de que necessita]”, acrescentou.

Questionada sobre se a viabilização do Orçamento do Estado na generalidade por parte do BE está do lado do Governo, Catarina Martins respondeu: “O Governo sabe que sim”.

“O Governo conhece as prioridades do Bloco de Esquerda: conter a vaga de despedimentos, apoiar as vítimas da crise, ter um serviço nacional de saúde que responda e ter critérios de transparência na forma como os dinheiros públicos são usados. Isto é absoluta sensatez”, elencou.

Relativamente à convocatória para uma reunião de negociação com o Governo na terça-feira, Catarina Martins registou que a mesma surge depois de “declarações destemperadas” do PS, numa referência ao facto de ter sido acusada pelos socialistas de mentir.

“O Governo, compreendendo que [essas declarações] não tinham nenhum sentido, marcou as reuniões, que nós já estamos, aliás, à espera e disponíveis há bastante tempo”, referiu.

A Assembleia da República começa no dia 27 a debater a proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2021, estando a votação na generalidade marcada para o dia seguinte.

Na terça-feira, o BE sublinhou que as divergências sobre o Orçamento do Estado para 2021 não são sobre detalhes, “mantendo a porta aberta” para que o PS reconsidere em quatro matérias, sem as quais não tem condições para viabilizar o documento.

A Mesa Nacional do BE vai reunir-se no dia 25 para decidir o sentido de voto do partido na generalidade.

Ler mais
Recomendadas

Anthony Fauci critica reação dos EUA à pandemia e politização das máscaras

“Na verdade, as pessoas são ridicularizadas por usarem máscara. Depende do lado particular do espetro político em que se encontram, o que é muito doloroso para mim como médico, cientista e funcionário da saúde pública”, frisou Fauci.

Novas restrições serão circunscritas a territórios

Questionado se o Governo optará por ações localizadas ou se admite restrições nacionais como um novo confinamento geral, Lacerda Sales disse que “todos os países da Europa estão neste momento a tentar estabilizar num determinado modelo que pode comportar muitas variáveis”.

Facebook reconhece erros na proibição de anúncios políticos

“Estamos a investigar anúncios que foram erroneamente suspensos, e perguntas de anunciantes que estão a ter dificuldades em ajustar as suas campanhas. Estamos a trabalhar para resolver estes problemas rapidamente”, escreveu terça-feira, no Twitter, um gestor de produtos publicitários do Facebook, Rob Leathern.
Comentários