PremiumOferta turística da Madeira assenta no princípio da sustentabilidade

A Madeira tem uma taxa de sazonalidade muito baixa por ser um destino que consegue afirmar-se ao longo do ano, em contraste com a maior parte das regiões portuguesas. Isto a par do ‘trunfo’ Natureza.

O tema da sustentabilidade dos destinos turísticos está cada vez mais na ordem do dia. Em entrevista ao presidente do CiTUR – Centro de Investigação, Desenvolvimento e Inovação em Turismo, Jorge Umbelino destaca que esta é uma causa ganha, na medida em que já não se questiona o facto de a oferta turística ter de ser sustentável, além de realçar que a oferta turística da Madeira assenta, por excelência, no princípio da sustentabilidade.

“A Madeira é uma região onde os recursos mais evidenciados, e aqueles que mais identificam a própria Região, se fundam muito na relação com a Natureza, com a defesa da vida natural, lógicas que enquadramos na imagem da sustentabilidade, nomeadamente da sustentabilidade ambiental, que gostamos de defender e na qual assenta a oferta turística da Madeira”, sublinha, acrescentando que a Região tem vindo a afirmar-se como um destino de turismo de experiência, fazendo com que a taxa de sazonalidade seja muito baixa, a par do bom tempo e do clima ameno, “onde aparentemente não há verão nem inverno”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor. Edição do Económico Madeira de 3 de janeiro.

Recomendadas

PremiumGrupos franceses forçam mudança na liderança da ASFAC

Estatutos da Associação de Instituições de Crédito Especializado foram alterados depois de Cofidis e Cetelem ameaçarem bater com a porta.

PremiumRui Rio consegue vitória com telhados de vidro nas diretas

Militantes reelegeram presidente após derrotas nas europeias e legislativas, mas o resultado em vários centros urbanos é mau prenúncio para as autárquicas. Luís Montenegro recusa que a derrota seja a sua morte política e Miguel Pinto Luz está à espreita.

PremiumBrexit: entre o fim do império e o regresso da independência

A União Europeia está prestes a entrar naquele que será o primeiro dia do resto da sua vida. Bruxelas não tem nada para comemorar, mas Londres acha que sim.
Comentários