Olavo Correia apela à melhoria dos esforços para tornar Cabo Verde mais eficiente

O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças cabo-verdiano pretende que o país africano seja capaz de competir à escala global.

O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças de Cabo Verde, Olavo Correia, exortou esta terça-feira a todos aqueles que estão na esfera pública a fazerem mais, melhor e mais rápido para que o país seja mais eficiente e possa competir à escala global. O desafio foi lançado durante a cerimónia de encerramento de apresentação pública do estudo de impacto dos programas e projetos de promoção de empregos do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), na Cidade da Praia, a que o governante presidiu.

Os dados revelam que 63% dos jovens que frequentaram este projeto estão inseridos no mercado de trabalho, sendo que 45,3% encontram-se no sector privado e 34,9% na administração pública, dados esses que, no entender de Olavo Correia, indicam o caminho que o Governo deve seguir, mas também a necessidade de promover mais as empresas e as instituições que têm colaborado com o IEFP.

Para este governante, o trabalho não pode ser apenas um meio para pagar as contas e de subsistência, mas sim uma oportunidade para todos se expressarem, darem o seu melhor, fazerem mais, melhor e mais rápido para tornar o país mais célere e eficiente.

“Quem faz este país são jovens e mulheres cabo-verdianos que estão em todos os pontos de Cabo Verde e na diáspora e encontram-se no sector do turismo, pescas, indústrias, tecnologias, cultura e desporto. São esses talentos que fazem a diferença, e nos temos a obrigação de identifica-los, apoia-los e facilita-los a vida para que possam colocar a sua capacidade ao serviço do país”, sublinhou, observando que é preciso libertar o país da burocracia.

Para que os cabo-verdianos possam ter uma vida melhor, defendeu o vice-primeiro-ministro, é preciso “fazer diferente, ser mais eficiente para competir à escala global”, tendo realçado que estão reunidas todas as condições, mas que é preciso juntar o “puzzle” para um novo ecossistema.

Olavo Correia garantiu que o Governo vai continuar a apostar fortemente na formação profissional e disse que, para tal, disponibilizou 318 mil contos para programas e projetos de promoção de empregos do IEFP de modo a beneficiar cerca de cinco mil jovens.

“Apelo a todos aqueles que estão na esfera pública que façam de tudo para facilitar as empresas porque elas são as pessoas, clientes, trabalhadores, fornecedores, inovação, produção, rendimento sendo que a nossa ambição é fazer com que as microempresas cresçam”, disse o ministro, salientando que o objectivo é criar condições para que os jovens formandos possam ter empregos sustentáveis e bem renumerados.

O estudo de impacto dos programas e iniciativas de empregabilidade, apresentado na Praia, abarca o período de 2015 a 2017 e abrange o Programa Nacional de Estágios Profissionais (PNEP), o Projeto de Inserção Desempregados Longa Duração e o programa de empreendedorismo de apoio as micro e pequenas empresas geridos pelo IEFP.

Ler mais
Recomendadas

Cabo Verde reabre em julho a turistas com selo de segurança sanitária

Em comunicado, o Ministério do Turismo e Transportes refere que “o trabalho de preparação do país, enquanto destino turístico, está em curso, por forma a receber os turistas com segurança e tranquilidade”.

Oeiras e AKDN enviam equipamento médico a Cabo Verde

A iniciativa solidária para os PALOP e representa um investimento superior a 700 mil euros.

Operadoras cabo-verdianas proibidas de alterar e criar novos tarifários

O setor das telecomunicações “tem condicionado o desempenho da economia” de Cabo Verde desde o primeiro trimestre de 2016, “na medida que tem contribuído negativamente para o crescimento do PIB”.
Comentários