Onze cartões de crédito com ‘cashback’ para 2019

Entre pontos, descontos e milhas aéreas, ainda existe uma característica de alguns cartões de crédito que apela a uma boa administração da conta bancária e que até permite aumentar o valor das poupanças: o cashback.

O mundo dos cartões de crédito é mais infindável do que parece. Entre pontos, descontos e milhas aéreas, ainda existe uma característica de alguns cartões que apela a uma boa administração da conta bancária e que até permite aumentar o valor das poupanças: o cashback. Quando bem gerida, esta pode ser uma das maiores vantagens dos cartões, especialmente para quem usa este meio de pagamento regularmente. Indicamos-lhe os 11 melhores cartões de crédito com cashback para 2019.

Como funcionam?

Os cartões de crédito com cashback possibilitam que o consumidor veja devolvida, na sua conta, uma percentagem pré-definida do valor dos seus gastos. Esta quantia pode ser depois convertida em compras em supermercados, restaurantes, postos de abastecimento de combustível e hotéis.

Contrariamente ao que acontece com o sistema de pontos, de descontos ou com os programas de milhas aéreas, o cashback acaba por ser uma alternativa mais versátil e abrangente, uma vez que pode ser gasto livremente em diversos produtos ou estabelecimentos comerciais, como qualquer consumidor faria normalmente com o saldo da sua conta à ordem.

A oferta existente no mercado

Regra geral, os cartões de crédito com esta vantagem oferecem taxas de cashback entre 1% e 5%, existindo ainda a possibilidade de beneficiarem de anuidades grátis.

Salvo algumas exceções, geralmente o montante de cashback acumulado ao final de um ano calcula-se através da seguinte fórmula:

Montante de cashback acumulado: (Montante total de gastos por mês) x (12 meses) x taxa de cashback = Reembolso na conta

Em termos práticos, tome-se o exemplo da Diana, que tem 31 anos de idade, é adepta das novas tecnologias e para quem poupar ao máximo nas suas compras é essencial.

Esta jovem adquiriu recentemente um cartão de crédito com 3% de cashback, o que significa que, no mês a seguir à compra do último modelo inovador de smartphone do mercado, ela recebeu 3% do montante que gastou na sua conta.

Assumindo que o telemóvel custou 610 euros, então o valor de retorno do cashback foi de 18,30 euros, o que já lhe deu para comprar uma capa protetora para o seu equipamento.

Para se ter uma noção mais alargada do volume acumulado, se se tiver em conta que a família Salgueiro gasta em média 300 euros por mês nas suas compras no supermercado, gera-se um reembolso de 108 euros ao final de um ano, valor que depois aproveitam para poupar nos seus gastos com as prendas de Natal.

Porém, se o valor de cashback for inferior, são necessárias muitas mais compras. Tomando como exemplo um cartão de crédito com um cashback de 2%, neste caso já seriam precisos gastos na ordem dos 10 mil euros por ano para se receberem 200 euros de retorno.

Ao todo, no mercado, e conforme se pode observar na tabela abaixo, existem 11 opções de cartões de crédito que oferecem este benefício do cashback, duas associadas a retalhistas (FNAC e Media Markt), uma do Grupo Salvador Caetano (Caetano Go), um cartão pré-pago (correspondente à solução da Revolut) e os restantes de algumas das maiores instituições financeiras em Portugal (Cofidis, BPI, Caixa Geral de Depósitos, Santander, Cetelem, Bankinter e Banco CTT).

Em termos da percentagem de cashback atribuída, o valor máximo que se pode encontrar no mercado é de 5%, pertencendo ao cartão bankintercard Gold, ao passo que o mínimo é de 1%, como oferece o cartão da Media Markt, o cartão Cofidis, o cartão de crédito FNAC, o Metal da Revolut e o Mundo 123 do Santander.

Cartões de crédito com cashback
CartãoAnuidadeCashbackMáximo anualReceção de cashbackTAEG
Media Markt
(Cetelem)
0€1%160€Em cartão16,1%
Cartão de Crédito Cofidis0€1%(1)160€Em cartão16,1%
Cartão de Crédito FNAC5€1%160€Em pontos16,1%
Cartão Metal Revolut167,88€1%(2)Não referidoEm cartãon/a(3)
Cartão Mundo 123 (Santander)30€1%Não referidoEm cartão11,9%
Leve (CGD)25€1,5%900€(4)Em PPR associado16,1%
Caetano Go
(Cetelem)
0€1,5%160€Em cartão16,1%
BPI Prémio14€2%Não referidoEm cartão14,5%
Cartão de Crédito
Banco CTT
0€3%Não referidoEm vale postal16,1%
Black Plus
(Cetelem)
0€3%(5)100€Em cartão16,1%
bankintercard Gold0€5%120€Em cartão16,1%

Dados recolhidos a 30 de julho de 2019 a partir dos websites das instituições financeiras.

(1) Possibilidade de aumentar o cashback para 2% (para compras) aderindo ao serviço “Mais por 1€”.

(2) 1% de cashback fora da Europa e 0,1% de cashback em gastos efetuados dentro da Europa.

(3) O Revolut Metal é um cartão pré-pago e não um cartão de crédito, pelo que não pressupõe a existência de uma TAEG

(4) Máximo mensal: 75€.

(5) Este cartão pode oferecer até 5% de cashback: 3% permanente + 2% adicional até 100€/ano.

Cartões de crédito com cashback: como escolher a melhor alternativa?

Para além da percentagem destinada ao cashback, na escolha da melhor solução é fundamental ter em conta também a anuidade e a taxa de juro – que será a TAEG – enquanto fatores de comparação. Pese embora a importância da percentagem de cashback, contraponha sempre os custos e os benefícios.

No âmbito das vantagens, por exemplo, entram os seguros que alguns cartões incluem – assistência em viagem, assistência médica, proteção contra fraudes, entre outras coberturas -, ao passo que os custos também devem entrar na equação – nomeadamente o valor da anuidade, eventuais comissões, etc. –, porque pode não compensar ter um cartão com uma grande percentagem de cashback se os encargos que se tem com o mesmo forem muito elevados.

Tenha ainda atenção aos limites de cashback que são impostos pelos cartões, uma vez que existem alguns que apenas oferecem o reembolso em compras superiores a determinado montante. Como tal, é mais aconselhável utilizar este tipo de cartão nas compras mais caras de forma a maximizar o montante devolvido no mês seguinte.

Cabe ainda salientar que alguns cartões de crédito com cashback obrigam a que o consumidor já seja cliente do banco em questão. Aproveite a oportunidade para avaliar se é cliente da instituição financeira que oferece mais vantagens para o seu estilo de vida em específico.

Se for para usufruir de mais do que uma conta à ordem para transações simples (tais como transferências e levantamentos), vale a pena pesquisar alternativas e avaliar também os benefícios dos cartões de crédito. Analisar todos os serviços em conjunto pode fazer muita diferença na sua carteira.

As opções de cashback associadas aos cartões são uma forma de as instituições financeiras premiarem os seus clientes por utilizarem os seus serviços, o que naturalmente os incentiva a gerirem melhor os seus gastos, uma vez que podem recuperar parte da despesa.

Quando utilizado de uma forma racional, com todas as prestações em dia, trata-se, sem dúvida, de uma melhor opção relativamente a um cartão que não possua este benefício, visto permitir poupar ao mesmo tempo que se usufrui do mesmo.

Compensa particularmente para compras elevadas porque o montante que se recebe de volta acaba por compensar os encargos com anuidades e afins. Portanto, para o consumidor é uma questão de fazer as contas, comparando e escolhendo a solução que mais se adapta ao seu perfil.

Ler mais
Relacionadas

Taxa gasolineira: descubra este custo oculto dos cartões de crédito

Aproximadamente 3 em cada 10 cartões de crédito não cobram taxa gasolineira. Descubra todos os custos ocultos que o seu cartão poderá ter e, em particular, em que consiste a taxa e se haverá forma de evitá-la.

Como escolher o primeiro cartão de crédito?

Para quem nunca teve um cartão de crédito, escolher o primeiro pode tornar-se difícil, uma vez que existem mais de 100 cartões de crédito disponíveis em Portugal e os benefícios associados a cada um são inúmeros. Existem diversos fatores para os quais deve olhar antes de tomar uma decisão relativamente ao primeiro cartão de crédito. Saiba, neste artigo, quais são.

Conheça quais os melhores cartões de crédito (sem ter de mudar de banco)

Muitos cartões de crédito têm como condição de acesso a necessidade de se ser cliente do banco. No entanto, existem opções no mercado que permitem aos portugueses ter um cartão sem mudar de banco, sem anuidades e com ofertas de adesão.
Recomendadas

Deco: Cafés e restaurantes podem proibir clientes de ler ou estudar

Apesar da lei permitir a proibição de leitura ou o estudo no espaço do estabelecimento, há situações que são questionáveis e, sem dúvida alguma, há uma invasão dos direitos do consumidor. Portanto, se alguma vez sentir que estão a privar a sua liberdade individual reclame!

Vive em união de facto? Saiba quais são os seus direitos

Ouviu dizer que, hoje em dia, as uniões de facto produzem os mesmos direitos que os casamentos? Não é inteiramente verdade. Fique a par dos direitos dos unidos de facto.

Siga estas dicas para aumentar a vida da bateria dos seus equipamentos

Um uso intensivo, num ambiente quente, também não é recomendável, pois a bateria pode sobreaquecer e provocar uma descarga mais rápida ou até mesmo danificar o equipamento.
Comentários