Premium‘Operação Marquês’ só chega à Relação no início de 2022

Sentença transitada em julgado nunca será conhecida antes do final de 2027, ou seja, na melhor das hipóteses, quando o processo terminar terão passado 13 anos desde a noite em que José Sócrates foi detido, em novembro de 2014.

O julgamento da ‘Operação Marquês’ nunca começará antes de setembro/outubro de 2022 e mesmo para isso seria preciso que toda a tramitação previsível do processo ocorresse no mais célere dos cenários, apurou o Jornal Económico depois de ouvir diversos operadores da Justiça, entre os quais magistrados judiciais, que levaram em linha de conta nas suas análises e previsões vários outros processos com os quais este poderá ter pontos de contacto.

As expectativas gerais para o final do processo também se podem estabelecer: entre recursos e mais recursos, até à sentença transitada em julgado, que incluirá uma segunda visita, após julgamento, ao Tribunal da Relação de Lisboa (TRL), seguida do apelo ao Supremo Tribunal de Justiça (STJ), o mediático caso nunca vai demorar menos do que cerca de seis anos adicionais. A data de 2036, que chegou a ser referida na comunicação social, é um “notável exagero”, mas até 2027, pelo menos, está garantido, asseguram-nos.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumAurélio Pereira: O “olho de ouro” que levou Portugal à glória europeia

“Ver para Crer” é o livro com as histórias mais marcantes do maior caça-talentos da história do futebol português, responsável pela chegada de 62 jogadores à Seleção portuguesa, dez dos quais sagraram-se mesmo campeões da Europa em 2016. Aurélio Pereira singrou na altura em que as camadas jovens eram desvalorizadas e era preciso convencer os clubes a investir.

PremiumEuro2020 pode ser pontapé para relançar mercado publicitário das marcas

Cobertura mediática será maior do que em 2016, mas é pouco provável que se traduza em recordes de audiências, dizem especialistas. Ainda assim, as marcas deverão aproveitar a oportunidade.

PremiumBem-estar no trabalho: Em busca de um novo equilíbrio no pós-pandemia

“As pessoas estão a mostrar a sua essência e isso permite aprender lições importantíssimas”. Quem o diz é José Soares, professor de Fisiologia, alertando para a importância de empresas e colaboradores trabalharem juntos para se alcançar um equilíbrio sustentável.
Comentários