PremiumOrçamento ignora mercados de capitais, alertam empresas e investidores

Governo prometeu pôr poupanças dos portugueses ao serviço da economia nacional, mas acabou por não incluir nenhuma medida de apoio ao mercado de capitais na proposta entregue ao Parlamento.

Apesar de o ministro de Estado e das Finanças, João Leão, ter defendido, na conferência da OCDE, “a importância e o compromisso do Governo para a promoção do mercado de capitais português” e ter mesmo referido algumas linhas orientadoras da sua ação, o Governo não contemplou medidas para dinamizar o mercado de capitais na proposta de Orçamento do Estado para 2021. Essa ausência de medidas para “criar um mercado de capitais mais robusto” e para “colocar as poupanças dos portugueses ao serviço da economia nacional” – como defendeu o ministro de Estado e da Economia, Pedro Siza Vieira, na apresentação, em Lisboa, do relatório da OCDE sobre o mercado de capitais em Portugal – não passou despercebida ao mercado financeiro.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

EDP conclui venda à Total de duas centrais a gás e carteira comercial em Espanha

A EDP concluiu esta terça-feira a venda de um portefólio de ativos térmicos e clientes de comercialização de energia em Espanha à Total por um enterprise value de 480 milhões de euros.
Debenhams

Mais de dois séculos depois, retalhista britânica Debenhams fecha atividade

A cadeia retalhista britânica Debenhams vai encerrar todas as lojas no Reino Unido depois de 242 anos de atividade porque não se encontrou um comprador, pondo em risco 12 mil postos de trabalho.

Visitas ao site do JE disparam em novembro, com subida de 33% para 5,8 milhões

O número de utilizadores do site do Jornal Económico aumentou 30% em novembro, face a outubro, para um total de 2,7 milhões. Acessos móveis representaram 79% do total. Plataforma multimédia JE TV tem cada vez mais telespectadores. Obrigado pela sua preferência!
Comentários