Os milionários que estão a fazer doações para a Austrália

O fundador da Amazon, Jeff Bezos, anunciou que a sua empresa fará uma doação de 690 mil dólares (619 mil euros) para o combate aos incêndios na Austrália. Saiba quem são os outros.

Joshua Roberts / Reuters

“O nosso coração vai para todos os australianos que estão a enfrentar estes incêndios devastadores. A Amazon vai doar 690 mil dólares (619 mil euros) para ajudar no que for necessário”, escreveu Bezos na sua conta de Instagram. As críticas nas redes sociais não se fizeram esperar. Há quem acuse o fundador da Amazon de ter doado muito menos do que outros empresários com uma fortuna inferior. Segundo a revista Forbes, Bezos é dono de 116,7 mil milhões de dólares (104 mil milhões de euros) e, de acordo com uma análise do site Business Insider, ganhava quase nove milhões de dólares (oito milhões de euros) por hora.

Por exemplo, a estrela da Marvel, Chris Hemsworth, que tem um património avaliado em 76 milhões de dólares (68 milhões de euros) vai doar o mesmo que Bezos. Já a cantora Pink, com uma fortuna de 57 milhões de dólares (51,1 milhões de euros), prometeu 500 mil dólares (448 mil euros).

A milionária Kylie Jenner doou mil milhões dólares (897 milhões de euros), enquanto a atriz Bette Midler ficou-se pelos 500 mil dólares, tal como a banda Metallica. Os CEOs das gigantes da tecnologia Apple e Google também responderam publicamente à crise na Austrália. O CEO do Alphabet, Sundar Pichai, escreveu no Twitter que os incêndios florestais eram “devastadores” e que a empresa tinha apoiado financeiramente o país nos esforços de ajuda. No final do ano passado, o diretor executivo da Apple, Tim Cook, foi ao Twitter para anunciar que a empresa também apoiaria financeiramente este país. No entanto, nem Pichai nem Cook divulgaram o valor das doações.

 

Recomendadas
trump e pence

Organização Trump tem extensa e prolongada conduta criminosa, concluem procuradores

Os advogados do Presidente norte-americano tinham considerado no mês passado que a intimação judicial para a entrega das declarações fiscais tinha sido feita com má-fé e era uma manifestação de assédio a Trump.

França suspende acordo de extradição com Hong Kong seguindo decisão de outros países

“À luz dos últimos desenvolvimentos, a França não procederá à ratificação do acordo de extradição assinado a 04 de maio de 2017 entre a França e a Região Administrativa Especial de Hong Kong”, declarou a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros francês.

Rei emérito Juan Carlos I vai abandonar Espanha

O envolvimento do rei emérito em negócios pouco recomendáveis e a existência de duas fundações suspeitas impedem Juan Carlos de continuar em Espanha. O filho, Filipe VI, já se tinha distanciado de Juan Carlos, na tentativa de conter os estragos provocados à monarquia.
Comentários