Os números do airbnb já não são desprezáveis, destaca CEO da KW Portugal

Eduardo Garcia e Costa frisou que é importante perceber que fenómenos é que estão a acontecer no turismo, dado que estes também estão intrinsecamente relacionados com as novas dinâmicas no mercado imobiliário, nomeadamente o crescimento do turismo residencial, que têm como consequência o aumento de preços no mercado imobiliário.

Cristina Bernardo

O CEO da KW Portugal, Eduardo Garcia Costa, destacou que os números do airbnb “já não são desprezáveis”, acrescentando que constam dos dados do turismo que em 2018 o airbnb alojou 3,4 milhões de turistas, dos cerca 21 milhões que passaram por Portugal.

Eduardo Garcia e Costa esteve presente na XIII Conferência Anual do Turismo da Ordem dos Economistas da Madeira, que se realizou esta sexta-feira no Centro de Congressos da Madeira.

O CEO da KW Portugal frisou que é importante perceber que fenómenos é que estão a acontecer no turismo, dado que estes também estão intrinsecamente relacionados com as novas dinâmicas no mercado imobiliário, nomeadamente o crescimento do turismo residencial, que têm como consequência o aumento de preços no mercado imobiliário.

Sobre as novas dinâmicas no mercado imobiliário, Eduardo Garcia e Costa realça o papel da tecnologia, que está “a reescrever as regras, a reinventar profissões e a reimaginar os negócios”, e que por isso, é necessário investir nesta vertente, pois “as regras do jogo estão a mudar”.

Recomendadas

Força de trabalho na Madeira com mais pessoas e melhor remunerados

O salário médio na Madeira atingiu mil euros e 78 cêntimos, mais 1,4%, face ao período homólogo, sendo que as empresas com maior dimensão foram as que melhor pagavam. 81% estavam afetos ao sector terciário.

JPP quer redução de impostos para desenvolvimento da economia e empregabilidade

O partido apelou a que o executivo madeirense seja menos despesista e por essa via alivie as empresas e famílias de modo a que se gere mais poupança, se dinamize a economia e se crie emprego.

Madeira: PSD quer equiparação do IHM ao IRHU para beneficiar de IVA mais reduzido

O PSD entende que o IHM e o IRHU devem ter um “tratamento igual” em termos fiscais, nas obras que visem a reabilitação de imóveis, beneficiando de uma taxa de IVA a 5%.
Comentários