Os recados de Marcelo deixados nas comemorações do 10 de Junho na Madeira

Marcelo Rebelo de Sousa chegou na segunda-feira à noite à Madeira, nesta que é a segunda vez que se comemora o 10 de Junho na Região.

O Presidente da República esteve estes últimos dias na Madeira para as comemorações do 10 de Junho, as primeiras desde o início do seu segundo mandato. Durante estes dias Marcelo Rebelo de Sousa deixou vários recados ao povo português, bem como às figuras do panorama político nacional.

No seu discurso oficial começou por realçar aos portugueses que a vida continua depois do surgimento da pandemia da Covid-19.

O chefe de Estado referiu-se ao Mar e aos Oceanos como um desafio para o futuro, que faz crescer o nosso espaço físico e geoestratégico, bem como o nosso universalismo.

Marcelo Rebelo de Sousa não deixou de se referir a António Guterres, que acaba de ser reconduzido para um segundo mandato como Secretário-Geral das Nações Unidas, como símbolo desse tal universalismo português.

O tecido empresarial, ferido pela pandemia, deve ser reconstruído, a pensar já em 2030, 2040, 2050, e a ‘bazuca’ europeia não deve ser desperdiçada, como no passado aconteceu com o ouro, com a prata, com as especiarias e mais recentemente com alguns fundos comunitários..

No discurso oficial ainda referiu a questão da imigração, salientando a importância de acolher os imigrantes.

Os governantes madeirenses fizeram questão de aproveitar a estada do Presidente da República na Ilha para vincarem a sua pretensão de aprofundamento da autonomia. O Chefe de Estado destacou, nesse sentido, que o Presidente da República não tem intervenção em matéria de revisão constitucional.

Marcelo Rebelo de Sousa pronunciou-se sobre a polémica escolha do Governo do nome de Pedro Adão e Silva para presidir às comemorações dos 50 anos do 25 de abril, bem como aos gastos inerentes. O Presidente da República referiu que esta foi uma escolha do Governo que contou com o seu aval. O chefe de Estado português frisou que não vê razão substancial para que Pedro Adão e Silva não exercesse essa função, apontando-lhe qualidades de conhecimento da matéria e imaginação inventiva.

Já sobre a também polémica partilha de dados de ativistas russos por parte da Câmara de Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa considerou a situação lamentável, salientando que estão em causa direitos fundamentais.

Recomendadas

Negócio dos aparelhos auditivos milagrosos. Saiba como se pode proteger destas vendas

Os consumidores, na sua maioria cidadãos idosos, mais vulneráveis às estratégias de venda agressiva, e que apresentam algum défice auditivo, afirmam ter conhecimento da venda destes aparelhos através da publicidade e de contactos promocionais, pelo telefone ou à porta de casa, ou mesmo em estabelecimentos comerciais.

Madeira: Pescadores vão poder abastecer gasóleo no Porto Moniz

O tanque do gasóleo vai ter uma capacidade de armazenamento de 15 mil litros e o de gasolina cinco mil litros. Os armadores revelam que assim vão poder poupar tempo e dinheiro, evitando as deslocações ao Funchal ou ao Caniçal (postos habituais de abastecimento).

Madeira passa a pedir teste rápido antigénio para entrar na Região a partir de 1 de julho

O governante realçou ainda que mantém-se o corredor verde para vacinados, testados e recuperados até 180 dias.
Comentários