Página do MAI no Twitter destaca subida do PS nas intenções de voto “depois de Pedrógão Grande e Tancos”

“PS sobe e Costa desce nas intenções de voto depois de Pedrógão Grande e Tancos,” lê-se na conta oficial do Ministério da Administração Interna na rede social Twitter. “Propaganda partidária pura e dura,” critica Miguel Morgado, deputado do PSD.

Cristina Bernardo/Jornal Econímico

O Ministério da Administração Interna (MAI) divulgou uma notícia na rede social Twitter com o seguinte título: “PS sobe e Costa desce nas intenções de voto depois de Pedrógão Grande e Tancos.” Miguel Morgado, deputado do PSD, considera que se trata de “propaganda partidária pura e dura.”

“Isto é da conta oficial de Twitter do MAI. Paga pelos contribuintes e estendendo a doutrina socialista de que o PS é o Estado e o Estado é do PS. Em circunstância normais, o uso destas contas para efeitos de propaganda partidária pura e dura, como está a suceder desde que este Governo entrou em funções, já seria suficiente para fustigar a cultura democrática desta gente,” escreve Morgado na rede social Facebook.

“Mas reparem que esta é a conta do MAI com uma referência direta à tragédia de Pedrogão Grande. Não há margem para equívocos. Depois dos falsos abraços, poses chorosas para as câmaras, encenações várias, fica a certeza de que esta malta só quer saber de sondagens e de manipulação da opinião pública,” conclui.

Entretanto a publicação em causa foi apagada da página do MAI no Twitter.

Recomendadas
rui_rio_psd

Rui Rio defende descida de 30% para rendas de estabelecimentos comerciais encerrados durante o confinamento

A medida consta no plano de retoma económica do PSD apresentado esta quarta-feira e, segundo o partido, não implica uma perda do rendimento líquido dos senhorios uma vez que será “o Estado a arcar com praticamente tudo” e os senhorios deixam de pagar a taxa de 28% de IRS.

PSD defende criação de banco de fomento com mil milhões de euros

Os social-democratas consideram que é fundamental ter essa estrutura a “obter financiamento em condições competitivas” junto das restantes instituições multilaterais internacionais e apoiar o tecido empresarial nacional.

PSD quer reduzir dívida pública para 70% a 80% do PIB até ao final da década

A medida tem como objetivo “recuperar a economia e tornar Portugal um país muito mais competitivo” e, para tal, os social-democratas querem atrair mais investimento privado e público, aumentar as exportações e ter contas externas equilibradas a partir de 2022.
Comentários