PAN considera desnecessário recolher obrigatório

“Nós sabemos que o contexto atual epidemiológico e os surtos eles estão a ocorrer nos transportes públicos, em contexto laboral”, justificou André Silva.

André Silva, Porta-voz e deputado do PAN à Assembleia da República | Cristina Bernardo

O líder do partido Pessoas Animais Natureza (PAN), André Silva apontou esta sexta-feira, 30 de outubro, que o recolher obrigatório é desnecessário, depois de reunião com o primeiro-ministro sobre medidas a tomar para conter a pandemia.

“O senhor primeiro ministro transmitiu também ainda que estas medidas podem ter um determinado avanço um gradualismo e que podem caminhar inclusivamente para um recolher obrigatório antecedido de um estado de emergência”, explicou André Silva.

Tendo em conta o que foi transmitido ao PAN, André Silva frisou que “sob perspetiva de virmos a mudar de posição, nós neste momento não somos favoráveis à aplicação desta medida porque a consideramos desnecessária”.

“Sabemos que o contexto atual epidemiológico e os surtos eles estão a ocorrer nos transportes públicos, em contexto laboral e nomeadamente também naquilo que diz respeito ao regresso às aulas e em contexto familiar é completamente fora deste horário que se verificam estes contágios e estes surtos”, disse o representante do PAN.

Quanto às interdições aos lares, André Silva pediu que estas “pessoas vulneráveis e tantas vezes isoladas possam, por uma questão de saúde mental e emocional, receber visitas, é perfeitamente possível e compaginável, no atual contexto epidemiológico, e com segurança, fazer-se esses contactos sociais que são extremamente importantes para estas pessoas e para os seus familiares”.

A reunião com António Costa também serviu para o PAN expressar o que André Silva classificou como um “desequilíbrio”.

“Sentimos um desequilíbrio, nós e a sociedade, entre aquilo que é pedido, exigido com estas restrições que são por ventura necessárias e aquilo que o Governo está a fazer que, por ventura, será pouco em determinadas matérias”, assegurou André Silva sublinhando que o executivo de António Costa ficou aquém “nomeadamente no que diz respeito aos transportes públicos, são poucos os transportes públicos onde vemos a disponibilização de álcool gel, são muitos os transportes e poucas as carruagens com lugares marcado para se sentar”.

Quanto ao Serviço Nacional de Saúde, André Silva destacou ser “necessária a contratação urgente de técnicos de saúde pública e de enfermeiros e isso não está a ocorrer”.

Ler mais
Relacionadas

Iniciativa Liberal contra novo Estado de Emergência

Os liberais rejeitam o Estado de Emergência, “não só porque é uma limitação excessiva das liberdades individuais, mas sobretudo porque não há qualquer fundamento que faça aplicar a todos os concelhos do país uma mesma medida”.

PCP pede que não se transforme problema de saúde em “caso de polícia”

O secretário-geral do PCP defendeu hoje que o Governo deve tomar medidas “proporcionais” e com “pedagogia”, avisando que não se pode transformar um problema de saúde “num caso de polícia”.

PSD não descarta apoio ao Estado de Emergência mas pede medidas “de forma selecionada”

O presidente do PSD, Rui Rio, considera que, a ser decretado, o Estado de Emergência não deverá implicar o confinamento obrigatório como em março e abril porque a economia não tem condições para suportar o impacto de um novo confinamento.
catarina_martins_oe_2020

BE diz que Estado de Emergência é “medida de última linha” e devem (para já) procurar-se “outros mecanismos”

A coordenadora bloquista, Catarina Martins, defende que, para já, o Governo deve procurar outras medidas para proteger a população e não deve ser excluída a possibilidade de requisição civil dos setores privado e social, para ajudarem no combate à pandemia.

Governo avalia novas restrições de circulação entre concelhos nos feriados de dezembro

Possibilidade foi apresentada pelo ministro da Economia na reunião da Concertação Social. Siza Vieira quis ouvir a opinião dos parceiros sociais que sinalizaram serem medidas que se devem evitar ainda que seja positivo para as empresas a previsibilidade quanto a novas restrições de circulação entre concelhos nos feriados de 1 de 8 de dezembro que este ano são uma terça-feira e poderão levar a maior mobilidade dos portugueses face a previsíveis pontes.
Recomendadas

PremiumAutorizações legislativas concentradas na pandemia

Aprovação do Orçamento do Estado para 2021 volta a dar ao Governo o poder de fazer decretos-lei, sobretudo para garantir resposta à crise causada pela Covid-19. Destacam-se as medidas excecionais para as autarquias e de valorização do interior.

Personalidades JE: Aníbal Cavaco Silva – Dez anos Presidente depois de uma década de Cavaquismo

Foi pela mão de Sá Carneiro que Cavaco Silva entrou na vida política “e foi nele que procurei inspiração no exercício das funções de Primeiro-Ministro”, como referiu na apresentação do seu último livro. Deixa para a história uma obra mais marcante nos dez anos em que liderou o Governo, nos quais viabilizou em Portugal investimentos tão relevantes como a Autoeuropa, a barragem do Alqueva ou a revitalização urbanística da Expo98. Depois do “Cavaquismo” foi Presidente da República durante outros 10 anos.

PremiumMarcelo deve juntar-se aos oito pré-candidatos a partir de dia 9

Presidente da República adia a sua decisão para depois das renovações do estado de emergência. Marcelo Rebelo de Sousa é já o imcumbente que mais tempo demorou a anunciar a recandidatura.
Comentários