PremiumPandemia atrasa concessão dos CTT, mas Governo prevê novidades ainda em outubro

CTT querem manter serviço postal universal e Executivo quer fechar novo contrato antes do fim do ano.

Cristina Bernardo

O dossiê sobre o novo contrato de concessão do serviço postal universal e a prestação do serviço público pelos CTT – Correios de Portugal sofreu um atraso, devido à pandemia de Covid-19. Mas o Governo promete novidades ainda em outubro, uma vez que tem desde março todos os elementos (relatório final da Autoridade Nacional de Comunicações e auditoria da Inspeção-Geral das Finanças) para decidir sobre a renovação da concessão aos CTT, cujo atual contrato é válido até ao final de 2020.

Contactada, fonte oficial da secretaria de Estado das Comunicações garantiu ao Jornal Económico (JE) que o Governo está ainda a estudar a pasta relativa ao serviço postal universal, bem como os termos da prestação do serviço público. A mesma fonte admitiu que “a fase de análise” sofreu “um certo atraso” devido à pandemia, estimando “haver novidades sobre o tema ainda durante o presente mês”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Airbus regista prejuízo de 2.686 milhões de euros até setembro

A empresa assumiu também um encargo de 1,2 mil milhões de euros para custos de reestruturação, que, tal como anunciado em junho, implicará uma redução da mão-de-obra em 15 mil efetivos, de um total de 130 mil trabalhadores.

Lucros da Telefónica caem 50% para 1.142 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano

Segundo a Telefónica, as receitas operacionais antes da depreciação caíram 2,8%, para 2.672 milhões de euros, devido à deterioração dos seus ativos na Argentina.

Lucros da EDP Renováveis descem 7% até setembro

A queda dos lucros deve-se ao recuo da produção de eletricidade que, por sua vez, se deve à venda de ativos com uma potência superior a 1 gigawatt.
Comentários