Portugueses de férias no estrangeiro com quebra de 70% este ano

Apesar da maioria ter optado por passar as férias em Portugal, a Revolut equaciona que os portugueses gastaram menos 78% nas suas férias, em 2020, face ao mesmo período de 2019.

O verão de 2020 ficou marcado pelos bloqueios nos corredores aéreos e as restrições sanitárias devido à pandemia da Covid-19, o que levou a que se registasse uma redução de 70% no número de portugueses que arriscou viajar entre 1 de junho e 31 de agosto, face a igual período de 2019.

Os dados avançados pela Revolut, indicam que aqueles que optaram por passar as férias no estrangeiro escolheram Espanha, Reino Unido e França como principais destinos turísticos e gastaram menos 78% do que no período homólogo do ano passado. Em 2019, os destinos de eleição eram os Estados Unidos e Itália que, desta vez, ficaram fora do mapa dos utilizadores.

Para a análise destes dados, a fintech analisou os hábitos de consumo dos mais de 500 mil utilizadores portugueses e concluiu que todos os indicadores de despesa ficaram, em 2020, muito abaixo dos níveis de 2019, sendo que o setor mais afetado foi o da hotelaria que registou perdas no volume dos pagamentos feitos a partir dos cartões Revolut na ordem dos cinco milhões de euros.

Portugueses gastaram mais cá dentro do que lá fora

Também o turismo lá fora foi dos setores mais afetados, dado que, segundo os dados da fintech, registou-se uma queda de  32% nas reservas de hóteis no estrangeiro. Em compensação, os portugueses que viajaram gastaram 1,6 vezes mais em alojamentos locais (que incluem Airbnb e reservas em apartamentos), em 2020 do que em igual período de 2019. Assim, o arrendamento de casas e apartamentos através do Airbnb representou 8% de todo o dinheiro gasto em reservas em 2019. Já em 2020, este valor ascendeu a 32%.

A Revolut indica ainda que, com base na análise dos gastos no mercado interno e externo, foi possível perceber Os portugueses privilegiaram o mercado interno e gastaram 1,8 vezes mais este ano. Em 2019, os gastos dos portugueses, durante este período, representaram 29% do valor total, enquanto em 2020 este número disparou para 75%.

Em termos de levantamentos em caixas automáticas (ATM), durante o mesmo período de análise, os portugueses que viajaram para fora de Portugal levantaram 1,9 milhões de euros, uma redução em comparação com o ano anterior, altura em que se contabilizaram levantamentos na ordem dos nove milhões de euros.

 

Ler mais

Recomendadas

Jerónimo de Sousa diz que existem “todas as condições” para que o dinheiro de Bruxelas seja “bem aplicado”

O secretário-geral do PCP diz que o partido não irá “levantar a dificuldade pela dificuldade”, comprometendo-se com a apresentação de propostas concretas.

Portugal regista mais 623 casos e oito mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas

As autoridades sanitárias contabilizaram mais 140 altas nas últimas 24 horas, elevando para 45.736 o número total de pessoas livres do vírus.

Iniciativa Liberal vê Plano de Resiliência como “indício de uma oportunidade perdida”

João Cotrim Figueiredo reagiu ao Plano de Recuperação e Resiliência com críticas ao “dirigismo” e “aspetos propagandísticos” de um documento em que apenas um terço das verbas se destinam a investimento reprodutivo, com recapitalização das empresas e geração de emprego.
Comentários