Papeleiras lideram subidas no PSI-20

A bolsa de Lisboa iniciou a semana com uma subida de 0,78% e mantém-se em terreno positivo, com um ganho superior a 1%, depois de o Banco Central da China ter anunciado novos estímulos para mitigar os efeitos do coronavírus na economia.

A bolsa de Lisboa mantém-se a subir nesta manhã de segunda-feira, depois de ter começado a semana com uma subida de 0,78%, para os 5.369,86 pontos. O PSI-20 está a ganhar 1,13%, para 5.388,73 pontos, e a acompanhar a performance das suas congéneres da Europa, depois de o Banco Central da China ter anunciado novos estímulos para mitigar os efeitos do coronavírus na economia.

No principal índice bolsista nacional destacam-se os títulos das papeleiras, que sobem mais de 2%. É o caso da Navigator (+2,27%, para 3,10 euros) ou da Altri (+2,10%, para 5,59 euros). Além das empresas da pasta e do papel, também o BCP (+1,79%, para os 0,19 euros) e a EDP – Energias de Portugal (+1,19%, para 4,77 euros) puxam pela Bolsa de Lisboa.

Na sessão de hoje estão ainda a subir, por exemplo, a Jerónimo Martins (+0,77%, para 16,99 euros) e a Galp Energia (+0,93%, para 14,10 euros). Por outro lado, caem a Ibersol (-1,14%) e a Pharol (-0,20%).

As restantes praças do ‘Velho Continente’ estão com ganhos tímidos, num dia em que os mercados financeiros norte-americanos estarão encerrados devido ao feriado. “Comemora-se o dia do presidente e o impacto será evidente no volume no mercado. Com menor liquidez por vezes assistimos a movimentos mais exagerados mas espero um dia calmo”, explica Eduardo Silva, deputy director da XTB

O índice alemão DAX sobe 0,14%, o britânico FTSE 100 avança 0,20%, o francês CAC 40 soma os ligeiros 0,02%, o holandês AEX ganha 0,05%, o espanhol IBEX 35 está a ser marcado por uma subida de apenas 0,02% – se bem que a Bolsa de Madrid superou hoje os 10 mil pontos pela primeira vez – e o italiano FTSE MIB ganha 0,24%. O Euro Stoxx 50 valoriza 0,04%.

“A animar o sentimento dos investidores estará a possibilidade do governo Chinês avançar com um pacote de estímulos fiscais de forma a compensar o impacto económico da epidemia coronavírus, tendo levado o principal índice Chinês a avançar mais de 2% na sessão asiática”, refere Ramiro Loureiro, trader do Millennium bcp.

Os analistas do CaixaBank/BPI Research afirmam que um dos setores que é “bastante sensível” à conjuntura chinesa é o automóvel. “Na semana passada, este sector foi um dos piores performers do mercado europeu, em virtude do renascer dos receios em relação ao coronavírus e a um fluxo contínuo de notícias negativas, que culminou com os fracos resultados da Renault e a decisão da empresa de cortar o dividendo”, adiantam, numa nota de mercado publicada esta manhã.

Em relação aos preços do petróleo, a cotação do barril de Brent está a descer 0,07%, para 57,28 dólares, enquanto a cotação do crude WTI sobe 0,04%, para 52,34 dólares por barril. Quanto ao mercado cambial, o euro aprecia 0,16% face ao dólar (1,0848) e a libra esterlina “desvaloriza” 0,02% perante a divisa dos Estados Unidos (1,3044).

Ler mais

Recomendadas

Nasdaq lidera quedas em Wall Street

As tecnológicas acentuaram as perdas, nomeadamente as FAANG. A Facebook perdeu 2,48%, a Apple cedeu 0,46%, a Amazon tombou 3%, a Netflix afundou 4,23% e a Alphabet, dona da Google, caiu 1,74%. Também a Microsoft teve uma sessão negativa, desvalorizando 3,09%.

Domingos Soares de Oliveira: “não há neste momento qualquer situação oficial entre o Benfica e o treinador Jorge Jesus”

“Conforme é sabido, o nosso presidente tem uma relação pessoal com o treinador Jorge Jesus, portanto é natural que converse com o treinador, mas não não há neste momento qualquer situação oficial entre o Benfica e o treinador Jorge Jesus”, vincou Domingos Soares de Oliveira.

PSI-20 fecha em alta com a ajuda do BCP que valorizou mais de 3%

O BCP foi a estrela da sessão ao subir mais de 3%. Mas a queda da EDP, depois das notícias de que a própria empresa deverá ser constituída arguida no processo de rendas excessivas, travou a subida do PSI-20 que fechou em alta, mas abaixo das principais praças da Europa.
Comentários