Parlamento recomenda ao Governo introdução da sesta na educação pré-escolar

O Parlamento pede então que o Governo estude a avalie a introdução da sesta nos estabelecimentos pré-escolares, considerando diversos aspetos, entre os quais “a importância do sono no desenvolvimento das crianças”.

O Parlamento “recomenda ao Governo que estude a possibilidade de introdução da sesta da educação pré-escolar”.

A resolução publicada esta quinta-feira, 12 de setembro, em Diário da República pede ao Governo que estude e avalie a introdução da sesta nos estabelecimentos pré-escolares, considerando diversos aspetos, entre os quais “a importância do sono no desenvolvimento das crianças”.

Para a análise, a Assembleia da República pede ainda “a articulação da implementação da sesta com as orientações curriculares para a educação pré-escolar e a organização dos horários e tempo letivo e não letivos dos educadores de infância”, além das “condições materiais e humanas que são necessárias garantir para um período de sono com qualidade”.

A Assembleia da República pede ainda a promoção de um debate público sobre a matéria, “envolvendo a comunidade educativa, profissionais nas áreas da educação, pedagogia, saúde e ciências sociais, as organizações representativas dos trabalhadores e os pais, as famílias e suas associações..

A resolução foi aprovada no passado dia 19 de julho por Eduardo Ferro Rodrigues mas só esta quinta-feira, 12 de setembro, foi publicada em Diário da República, coincidindo o regresso às aulas para o ano letivo 201/2020.

A recomendação, uma iniciativa do PCP, foi aprovada em julho, apenas com os votos contra do PS.

Ler mais
Relacionadas

Sestas a meio do dia podem significar um coração mais saudável

Os autores do artigo científico concluíram que aqueles que fazer sestas ocasionais, até duas vezes por semana, entre cinco minutos a uma hora, são 48% menos propícios a serem vítimas de um ataque cardíaco ou AVC.
Recomendadas

Secretário de Estado não validou bilhete no metro de Lisboa? Polémica invade redes sociais

Miguel Cabrita, secretário de Estado do Emprego, saiu da estação de metro encostado a António Costa e as reações nas redes sociais não se fizeram esperar. Mas observando o vídeo com atenção, é possível perceber que o governante tem um bilhete na mão e que o valida.
Francisco Ferreira

Polémicas já provocaram a demissão de 15 membros do Governo de António Costa

José Artur Neves apresentou a demissão no mesmo dia em que a PJ realizou buscas no ministério da Administração Interna, Proteção Civil e a empresa fornecedora por suspeitas relacionadas com a compra das golas antifumo. A primeira demissão teve lugar cinco meses depois do Governo tomar posse, quando ministro da Cultura prometeu “salutares bofetadas” a crítico.

Secretário de Estado da Proteção Civil demite-se

Artur Neves pediu a exoneração do cargo do Secretário de Estado da Proteção Civil, após as buscas no âmbito do inquérito que investiga a polémica com as golas antifumo.
Comentários