Parlamento recomenda ao Governo introdução da sesta na educação pré-escolar

O Parlamento pede então que o Governo estude a avalie a introdução da sesta nos estabelecimentos pré-escolares, considerando diversos aspetos, entre os quais “a importância do sono no desenvolvimento das crianças”.

O Parlamento “recomenda ao Governo que estude a possibilidade de introdução da sesta da educação pré-escolar”.

A resolução publicada esta quinta-feira, 12 de setembro, em Diário da República pede ao Governo que estude e avalie a introdução da sesta nos estabelecimentos pré-escolares, considerando diversos aspetos, entre os quais “a importância do sono no desenvolvimento das crianças”.

Para a análise, a Assembleia da República pede ainda “a articulação da implementação da sesta com as orientações curriculares para a educação pré-escolar e a organização dos horários e tempo letivo e não letivos dos educadores de infância”, além das “condições materiais e humanas que são necessárias garantir para um período de sono com qualidade”.

A Assembleia da República pede ainda a promoção de um debate público sobre a matéria, “envolvendo a comunidade educativa, profissionais nas áreas da educação, pedagogia, saúde e ciências sociais, as organizações representativas dos trabalhadores e os pais, as famílias e suas associações..

A resolução foi aprovada no passado dia 19 de julho por Eduardo Ferro Rodrigues mas só esta quinta-feira, 12 de setembro, foi publicada em Diário da República, coincidindo o regresso às aulas para o ano letivo 201/2020.

A recomendação, uma iniciativa do PCP, foi aprovada em julho, apenas com os votos contra do PS.

Ler mais
Relacionadas

Sestas a meio do dia podem significar um coração mais saudável

Os autores do artigo científico concluíram que aqueles que fazer sestas ocasionais, até duas vezes por semana, entre cinco minutos a uma hora, são 48% menos propícios a serem vítimas de um ataque cardíaco ou AVC.
Recomendadas

Governo suspende 18 obras na ferrovia no norte e centro

A modernização da Linha do Oeste, entre Mira Sintra-Meleças e Caldas da Rainha, só deve arrancar no fim de 2020, sendo esta a data em que as obras deveriam estar concluídas e a ligação estabelecida e em funcionamento.

Angola: Orçamento Geral do Estado vai hoje a votos

A proposta final global prevê mais receitas e despesas para 2020. Dos 15,9 biliões de kwanzas (29,3 mil milhões de euros) consagrados, cerca de metade. é para pagar a dívida pública que é neste mo momento e 90% do Produto Interno Bruto angolano.

PSD quer debate alargado na concertação social para inverter declínio demográfico

Os social-democratas defendem que cabe ao Estado criar condições que incentivem a natalidade e que só um acordo entre os parceiros sociais pode levar a uma economia mais amiga das famílias e mais saudável. “Embora a decisão de ter filhos seja do foro pessoal, cabe ao Estado criar condições que favoreçam esta decisão”, defendem.
Comentários