Parlamento recomenda ao Governo introdução da sesta na educação pré-escolar

O Parlamento pede então que o Governo estude a avalie a introdução da sesta nos estabelecimentos pré-escolares, considerando diversos aspetos, entre os quais “a importância do sono no desenvolvimento das crianças”.

O Parlamento “recomenda ao Governo que estude a possibilidade de introdução da sesta da educação pré-escolar”.

A resolução publicada esta quinta-feira, 12 de setembro, em Diário da República pede ao Governo que estude e avalie a introdução da sesta nos estabelecimentos pré-escolares, considerando diversos aspetos, entre os quais “a importância do sono no desenvolvimento das crianças”.

Para a análise, a Assembleia da República pede ainda “a articulação da implementação da sesta com as orientações curriculares para a educação pré-escolar e a organização dos horários e tempo letivo e não letivos dos educadores de infância”, além das “condições materiais e humanas que são necessárias garantir para um período de sono com qualidade”.

A Assembleia da República pede ainda a promoção de um debate público sobre a matéria, “envolvendo a comunidade educativa, profissionais nas áreas da educação, pedagogia, saúde e ciências sociais, as organizações representativas dos trabalhadores e os pais, as famílias e suas associações..

A resolução foi aprovada no passado dia 19 de julho por Eduardo Ferro Rodrigues mas só esta quinta-feira, 12 de setembro, foi publicada em Diário da República, coincidindo o regresso às aulas para o ano letivo 201/2020.

A recomendação, uma iniciativa do PCP, foi aprovada em julho, apenas com os votos contra do PS.

Ler mais
Relacionadas

Sestas a meio do dia podem significar um coração mais saudável

Os autores do artigo científico concluíram que aqueles que fazer sestas ocasionais, até duas vezes por semana, entre cinco minutos a uma hora, são 48% menos propícios a serem vítimas de um ataque cardíaco ou AVC.
Recomendadas

PCP alerta para “instabilidade social” caso OE2021 não responda aos problemas nacionais agravados pela Covid-19

O líder comunista alerta que os “dramas sociais” vão aumentar devido à pandemia da Covid-19 e exorta o Governo a “valorizar salários e dos direitos”. E avisa: PCP não está disponível para negociar com quem “ameace com crises políticas” sem apresentar propostas concretas para os problemas nacionais.

“Foi no CDS-PP que conheci o pior da sociedade”. Ex-candidato à liderança do partido anuncia desfiliação

Sem esclarecer os motivos que levaram à saída do CDS-PP, ao fim de quase 20 anos de militância, Carlos Meira diz que foi entre os democratas-cristãos que conheceu “o pior da sociedade e da natureza humana”, mas garante que nunca conseguiram “calar” a sua voz.

Deputada Cristina Rodrigues pede ao Governo que crie Rendimento Básico Incondicional

A iniciativa visa assegurar que todos os cidadãos, independentemente da sua situação financeira ou profissional, tenham direito a uma prestação mínima de subsistência, “sem prova de meios ou obrigação de trabalhar”. A ex-deputada do PAN diz que a medida é ainda mais premente tendo em conta a crise provocada pela pandemia da Covid-19.
Comentários