Parlamento ucraniano aprova fim de tratado de amizade com a Rússia

Trata-se do primeiro confronto militar aberto entre Moscovo e Kiev depois da anexação pela Rússia, em 2014, da península ucraniana da Crimeia, e do início do conflito armado no leste da Ucrânia entre as forças governamentais e os separatistas pró-russos.

Ucrânia

O Parlamento ucraniano aprovou hoje simbolicamente o fim de um tratado de amizade e cooperação com a Rússia, após mais de quatro anos de crise e um confronto militar aberto no estreito de Kerch no final de novembro.

Proposta pelo Presidente Petro Porochenko, a medida, que deverá entrar em vigor em abril, foi apoiada por 277 deputados, quando era necessário um mínimo de 226 votos favoráveis.

A Ucrânia recusou também renovar o tratado, que entrou em vigor em abril de 1999 e que era prolongado automaticamente a cada 10 anos.

A Rússia apreendeu, a 25 de novembro, três navios de guerra ucranianos que tentavam passar do Mar Negro para o de Azov, capturando 24 elementos das tripulações.

ucra

Kiev e os seus aliados no Ocidente acusam a Rússia de instigar o conflito, que já causou mais de 10 mil mortos, e de apoiar militarmente os separatistas, o que Moscovo rejeita.

Ler mais
Relacionadas

Kremlin aguarda encontro entre Putin e Trump antes do G20 no Japão

Cimeira vai decorrer em junho do próximo ano no país nipónico. Desejo moscovita surge depois do presidente dos EUA ter cancelado o encontro com o homólogo russo durante o G20 realizado este fim-de-semana em Buenos Aires, na Argentina.

PremiumCrimeia: Seis anos depois da anexação russa, tensão regressa à península

O incidente no estreito de Kerch fez renascer velhas feridas na península da Crimeia. A Rússia vai mobilizar novas tropas para a região, como resposta à “provocação” ucraniana de invadir as suas águas territoriais. Do lado ocidental, a Ucrânia prepara-se também para responder a uma eventual ofensiva. A tensão está ao nível de 2014, quando a Crimeia foi anexada pelo regime russo.

Kremlin afirma que Trump cancelou encontro com Putin devido a problemas internos

Após o cancelamento da reunião do Presidente Donald Trump com o homólogo russo, Vladimir Putin, o Kremlin vem esclarecer que o cancelamento se deve à “situação política interna” nos Estados Unidos.
Recomendadas

Brexit: Uma câmara na fronteira pode bastar para reacender conflito na Irlanda, diz embaixadora

A embaixadora critica por outro lado a rejeição por Londres da primeira proposta europeia de ‘backstop’, que previa a extensão do mercado único à Irlanda do Norte.

EconPol diz que União Bancária não protege bancos europeus das repercussões de uma crise orçamental italiana

Os planos orçamentais do novo governo italiano têm o potencial de desencadear uma nova crise financeira, diz o analista da EconPol Europe, Timo Wollmershäuser.

“Vou assinar a emergência nacional”. Trump ‘força’ muro fronteiriço com o México

Líder da Casa Branca realçou que outros presidentes dos EUA recorreram a esta figura e “raramente foi um problema”. “Assinaram. Ninguém quis saber”, escreveu Trump.
Comentários