Parlamento ucraniano aprova fim de tratado de amizade com a Rússia

Trata-se do primeiro confronto militar aberto entre Moscovo e Kiev depois da anexação pela Rússia, em 2014, da península ucraniana da Crimeia, e do início do conflito armado no leste da Ucrânia entre as forças governamentais e os separatistas pró-russos.

Ucrânia

O Parlamento ucraniano aprovou hoje simbolicamente o fim de um tratado de amizade e cooperação com a Rússia, após mais de quatro anos de crise e um confronto militar aberto no estreito de Kerch no final de novembro.

Proposta pelo Presidente Petro Porochenko, a medida, que deverá entrar em vigor em abril, foi apoiada por 277 deputados, quando era necessário um mínimo de 226 votos favoráveis.

A Ucrânia recusou também renovar o tratado, que entrou em vigor em abril de 1999 e que era prolongado automaticamente a cada 10 anos.

A Rússia apreendeu, a 25 de novembro, três navios de guerra ucranianos que tentavam passar do Mar Negro para o de Azov, capturando 24 elementos das tripulações.

ucra

Kiev e os seus aliados no Ocidente acusam a Rússia de instigar o conflito, que já causou mais de 10 mil mortos, e de apoiar militarmente os separatistas, o que Moscovo rejeita.

Ler mais
Relacionadas

Kremlin aguarda encontro entre Putin e Trump antes do G20 no Japão

Cimeira vai decorrer em junho do próximo ano no país nipónico. Desejo moscovita surge depois do presidente dos EUA ter cancelado o encontro com o homólogo russo durante o G20 realizado este fim-de-semana em Buenos Aires, na Argentina.

PremiumCrimeia: Seis anos depois da anexação russa, tensão regressa à península

O incidente no estreito de Kerch fez renascer velhas feridas na península da Crimeia. A Rússia vai mobilizar novas tropas para a região, como resposta à “provocação” ucraniana de invadir as suas águas territoriais. Do lado ocidental, a Ucrânia prepara-se também para responder a uma eventual ofensiva. A tensão está ao nível de 2014, quando a Crimeia foi anexada pelo regime russo.

Kremlin afirma que Trump cancelou encontro com Putin devido a problemas internos

Após o cancelamento da reunião do Presidente Donald Trump com o homólogo russo, Vladimir Putin, o Kremlin vem esclarecer que o cancelamento se deve à “situação política interna” nos Estados Unidos.
Recomendadas

Movimento dos ‘coletes amarelos’ continua a diminuir com desorganização em Paris

O movimento dos “coletes amarelos” continua a perder fôlego, contando este sábado com cerca de 12.500 manifestantes em toda a França, segundo o Ministério do Interior, e 2.100 manifestantes em Paris, em pequenos desfiles dispersos pela capital.

Comissão política do ADI expulsa presidente eleito hoje em congresso em São Tomé

A comissão política do partido Ação Democrática Independente (ADI), na oposição em São Tomé e Príncipe, decidiu expulsar 14 militantes, incluindo Agostinho Fernandes, hoje eleito presidente do partido, por aclamação, num congresso que aquele órgão não reconhece.

Sismo de magnitude de 5,1 registado no Japão

Um abalo sísmico com uma magnitude de 5,1 na escala aberta de Richter foi hoje sentido na capital do Japão, Tóquio, não havendo informação sobre vítimas ou danos materiais elevados.
Comentários