Partido de Salvini diz que eleições antecipadas são única opção viável

Só esta semana, já é a segunda vez que o governo italiano se encontra próximo do fim. Internamente, já ninguém acredita que o país possa escapar a eleições antecipadas.

Giuseppe Conte

O governo italiano está à beira da rutura devido à crise causada pelo comboio de alta velocidade. A Liga, comandada por Matteo Salvini, ministro do Interior e vice-primeiro-ministro, votou contra a moção do parceiro de coligação, o Movimento Cinco Estrelas de Luigi Di Maio, também vice-primeiro-ministro, que pretendia parar a construção da linha que liga Lyon a Turim. Este voto abriu mais uma frente de crise entre os dois partidos, que repartem o governo desde as eleições do ano passado e desentendimentos há vários meses.

Tendo em conta a subida da Liga nas sondagens, a eventualidade de eleições antecipadas pode concretizar o sonho de Matteo Salvini de subir um degrau e passar de ministro do Interior a chefe do governo. A Liga tem 36% das intenções de voto, o que somado aos votos no partido Fratelli d’Italia daria uma maioria relativa de 43,5%, O Movimento Cinco Estrelas, de Luigi Di Maio, está pouco abaixo dos 18%, muito atrás dos resultados de 2018, em que a Liga e o M5S tiveram resultados muito próximos, que obrigaram os dois partidos a partilharem o poder e nomear um independente, Giuseppe Conte, para chefiar o governo.

Os desentendimentos têm vindo a agravar-se e, já esta semana, o governo italiano podia mesmo ter acabado por desaparecer, depois de os dois partidos terem tido dificuldade em entenderem-se em relação à votação parlamentar de uma lei que permite um controlo mais rápido sobre a atuação das ONG’s que estão nas águas do Mediterrâneo para tentarem colocar em segurança os refugiados que tentam atravessar as suas águas em demanda da Europa.

Enquanto os analistas esperam as cenas dos próximos episódios, a primeira cabeça a rolar será, provavelmente, a do Ministro das Infraestruturas e Transportes, Danilo Toninelli, membro do Movimento Cinco Estrelas que tem a tutela sobre a linha de alta velocidade.

Mas, para os analistas, o governo já não tem salvação. Aliás, desde a primeira hora que a intenção de Salvini substituir o governo de coligação por um onde possa estar sozinho era conhecida – é só uma questão de tempo. Vários membros da Liga têm afirmado que, no atual quadro político, já não é possível que o país passe sem voltar às urnas.

Relacionadas

Itália: Salvini consegue passar lei mais restritiva do auxílio aos refugiados

A lei acrescentava uma voto de confiança no governo e foi um teste à capacidade da coligação manter o executivo em funcionamento. O presidente da Liga passou o teste, mas as divisões vão manter-se.
Recomendadas

Von der Leyen adverte líderes europeus: É preciso “um acordo rápido e ambicioso sobre o pacote europeu de recuperação”

A presidente da Comissão Europeia convidou os presidentes do Conselho e do Parlamento Europeu e a presidência rotativo do Conselho para alcançar um acordo rápido sobre o pacote de recuperação.

Putin pode ficar no poder até 2036 depois de revisão constitucional ser aprovada por 77,92% dos votos

Uma das emendas mais controversas permite a Vladimir Putin a possibilidade de mais dois mandatos presidenciais além do atual que termina no ano de 2024.

Hong Kong: Austrália pondera dar refúgio a quem abandone ex-colónia britânica

Scott Morrison considerou a situação em Hong Kong “muito preocupante” e anunciou que seu Governo estava “muito ativamente” a considerar dar acolhimento no país aos cidadãos daquela região administrativa especial chinesa.
Comentários