Partidos chumbam proposta do PS para nova Lei de Bases da Saúde

Bloco de Esquerda, CDS-PP, PCP e PSD votaram contra o artigo da Lei de Bases da Saúde sobre as Parcerias Público-Privadas.

Reuters

Os partidos com assento parlamentar, à exceção do PS, chumbaram esta terça-feira à tarde a proposta dos socialistas para nova Lei de Bases da Saúde. Bloco de Esquerda, CDS-PP, PCP e PSD votaram contra o artigo sobre as Parcerias Público-Privadas (PPP).

Na semana passada, a votação sobre a Lei de Bases da Saúde foi adiada devido ao facto de o Partido Socialista ter apresentado duas novas propostas relativamente às PPP. A reunião da comissão parlamentar da Saúde que está a decorrer na Assembleia da República deveria ficar marcada por esta votação, caso o PS não introduzisse duas propostas.

Por discordar das posições do Bloco de Esquerda e do PCP, em relação às PPP, o PS reformulou a proposta que tinha apresentado anteriormente, e incluiu algumas alterações. Após a análise dos novos pressupostos apresentados pelos socialistas, a votação voltou à Assembleia da República neste dia 18 de junho.

Hoje, o Bloco de Esquerda apresentou uma proposta que revogava o decreto-lei que regulamentava a norma transitória sobre os contratos de PPP na saúde.

Costa: “Não queremos Lei de Bases da Saúde para fazer campanha nem lavar a consciência”

Ler mais
Recomendadas

PS: Chumbo de lista encabeçada por Ana Mendes Godinho na Guarda faz primeira baixa

Lista foi chumbada por um voto na reunião da Comissão Política Distrital do PS. Presidente da Federação Socialista da Guarda, Pedro Fonseca, diz que irá apresentar a demissão.

CGTP considera possível aumento salarial de mais de mil euros

A CGTP considera possível um aumento salarial superior a mil euros por trabalhador, em média, e vai usar essa perspetiva para defender o aumento generalizado dos salários junto dos partidos com representação parlamentar, a partir de hoje.

Se formar Governo, CDU promete reabrir escolas, hospitais e balcões da CGD e correios

Se conseguir formar Governo, após as eleições de outubro, a Coligação Democrática Unitária (CDU) compromete-se a reabrir, de imediato, serviços públicos encerrados, como estações de correios, balcões da CGD, unidades de saúde e escolas, na próxima legislatura.
Comentários