Partidos chumbam proposta do PS para nova Lei de Bases da Saúde

Bloco de Esquerda, CDS-PP, PCP e PSD votaram contra o artigo da Lei de Bases da Saúde sobre as Parcerias Público-Privadas.

Reuters

Os partidos com assento parlamentar, à exceção do PS, chumbaram esta terça-feira à tarde a proposta dos socialistas para nova Lei de Bases da Saúde. Bloco de Esquerda, CDS-PP, PCP e PSD votaram contra o artigo sobre as Parcerias Público-Privadas (PPP).

Na semana passada, a votação sobre a Lei de Bases da Saúde foi adiada devido ao facto de o Partido Socialista ter apresentado duas novas propostas relativamente às PPP. A reunião da comissão parlamentar da Saúde que está a decorrer na Assembleia da República deveria ficar marcada por esta votação, caso o PS não introduzisse duas propostas.

Por discordar das posições do Bloco de Esquerda e do PCP, em relação às PPP, o PS reformulou a proposta que tinha apresentado anteriormente, e incluiu algumas alterações. Após a análise dos novos pressupostos apresentados pelos socialistas, a votação voltou à Assembleia da República neste dia 18 de junho.

Hoje, o Bloco de Esquerda apresentou uma proposta que revogava o decreto-lei que regulamentava a norma transitória sobre os contratos de PPP na saúde.

Costa: “Não queremos Lei de Bases da Saúde para fazer campanha nem lavar a consciência”

Ler mais
Recomendadas
eleições_legislativas_voto_urna_votar

Deputados luso-canadianos tentam reeleição e incentivam “portugueses” a votar nas legislativas

Os dois deputados federais luso-canadianos recandidatos ao cargo estão a pedir aos portugueses com cidadania canadiana que votem nas eleições legislativas de segunda-feira, afirmando a voz da comunidade.

PSD: Maria Luís Albuquerque vai apoiar Luís Montenegro nas diretas

A antiga ministra das Finanças de Pedro Passos Coelho considera que Luís Montenegro é o candidato que está melhor preparado para assumir a liderança do partido e transformá-lo uma “efetiva alternativa ao Partido Socialista (PS)”.

“Não há condições” dadas as “profundas divergências”, realça Costa sobre orçamento da UE

o acordo sobre o Brexit”, teve lugar “uma segunda fase do Conselho sem boas notícias e sem conclusões sobre qualquer das matérias em debate”, uma das quais a discussão sobre o futuro quadro financeiro plurianual da União pós-2020, que, comentou, teve apenas o mérito de deixar evidentes as diferenças entre os 27.
Comentários