Paulo Fernandes passa ações da Cofina para Actium

Paulo Fernandes anunciou que fez um rearranjo na sua participação na Cofina. Agora a empresa Actium da qual é administrador e accionista dominante é que detém toda a sua participação na dona do Correio da Manhã, Sábado e Jornal de Negócios.

CEO da Cofina, Paulo Fernandes | Foto cedida

O presidente da Cofina vendeu as suas ações e deixou de ter qualquer participação na empresa, a título pessoal. Agora toda a sua participação é detida através da sua empresa Actium SGPS.

“Paulo Jorge dos Santos Fernandes vem, por este meio, comunicar (…) que em virtude da alienação, em bolsa, em 22 de Setembro de 2017, de 3.000.000 de acções representativas de 2,92% do capital social e dos direitos de voto da sociedade COFINA – SGPS, ao preço de 0,400 euros por acção, deixou de deter, nessa data, a título pessoal, qualquer acção da sociedade COFINA – SGPS”, avança a empresa dona do Correio da Manhã e do Jornal de Negócios em comunicado à CMVM

A Cofina diz ainda que “a sociedade ACTIUM CAPITAL – SGPS adquiriu, na mesma data, em bolsa, 3.000.000 de acções representativas de 2,92% do capital social e dos direitos de voto da sociedade COFINA – SGPS ao preço de 0,400 euros por acção, tendo passado a deter um total de 13.386.332 acções representativas de 13,05% do capital social e dos direitos de voto da COFINA – SGPS”, avança o comunicado

“Informa-se, por fim, que se consideram imputáveis a Paulo Jorge dos Santos Fernandes um total de 13.386.332 acções representativas de 13,05% do capital social e dos direitos de voto da sociedade COFINA – SGPS,detidas pela sociedade ACTIUM CAPITAL – SGPS, de que é administrador e accionista dominante”, conclui a informação ao mercado.

A Actium é também a maior acionista da Altri SGPS.

Recomendadas

O principal desafio para o sector das pescas é tecnológico

O presidente da Associação dos Armadores de Pesca Industrial diz que a frota precisa de um salto tecnológico que a União Europeia deveria impor e apoiar quanto antes.

Desenvolvimento tecnológico vai marcar segurança privada

Na lista das 10 tendências identificadas pela associação norte-americana de segurança, e que constam do seu último relatório, todas têm uma base tecnológica e metade respeitam a esta integração entre vídeo e software, com destaque para as ferramentas de reconhecimento facial.

PremiumMário Palhares: “BNI e Finibanco Angola continuam empenhados em encontrar uma solução”

O processo de venda do Finibanco Angola a Mário Palhares do Banco BNI, acordado em 2015, acabou. Mas o CEO do banco angolano garante ao JE que o BNI e o Finibanco continuam empenhados em encontrar uma solução.
Comentários