Paulo Macedo vai propor ao Estado solução para os bancos em Cabo Verde e Brasil este mês

Também este mês a CGD deverá ter uma definição sobre a venda ou não dos fundos de reestruturação da ECS. A Caixa “não está disponível para registar perdas com esse portfolio até porque não tem pressa de vender os ativos”, disse o CEO do banco.

Paulo Macedo revelou, na conferência de imprensa de apresentação de resultados do terceiro trimestre, que a CGD apresentará este mês ao acionista Estado uma solução para os bancos de Cabo Verde e do Brasil.

Questionado sobre a venda dos banco de Cabo Verde e do Banco Brasil, Paulo Macedo que “a CGD fará a sua recomendação este mês ao governo na sequência dos dois processos”. O banco deixou de estar pressionado para vender as duas instituições desde que ficou concluído o seu plano estratégico, que implicava compromissos com Bruxelas.

O mês de novembro é pródigo em novidades para a CGD. O banco distribui 300 milhões ao Estado a título de dividendos extraordinários este mês.

Também este mês a CGD deverá ter uma definição sobre a venda ou não dos fundos de reestruturação da ECS. Paulo Macedo não quis comentar o desconto de 31% face ao Net Asset Value a que a CGD tem contabilizado no balanço as unidades de participação desses fundos, uma informação revelada pelo Novo Banco numa apresentação a analistas, mas disse que “não estava à espera de ter perdas com esses ativos”. Foi mesmo mais peremptório dizendo que “não está disponível para registar perdas com esse portefólio até porque não tem pressa de vender os ativos”.

Recorde-se que banco liderado por António Ramalho desvendou na apresentação que há um processo de venda em andamento correspondente a cerca de 40% do Net Book Value.

O Projeto Crow está a decorrer havendo negociações com a ECS de dois candidatos: da DK Partners e do consórcio Bain/Cerberus. A escolha do vencedor é esperada para este mês.

O banco do Estado continua à espera da eleição da administração para um novo mandato, diz que isso não prejudicou o futuro plano estratégico.

Relacionadas

CGD com lucros de 429 milhões e dividendo extraordinário de 300 milhões

A melhoria económica leva a CGD a anunciar um dividendo extraordinário de 300 milhões ao Estado. O banco tem imparidades de reserva para precaver impactos potenciais dos fim das moratórias.
Recomendadas

Governo recebe 300 milhões da CGD em dividendos extraordinários

Com este dividendo extraordinário, o Estado recebe ao todo em 2021, da CGD, 383,6 milhões de euros.

Haitong Bank liderou a emissão de obrigações da Mota-Engil num sindicato que incluiu CaixaBI, Finantia e Novobanco

Nesta emissão, a Mota-Engil compromete-se a melhorar um indicador (KPI) de modo a alcançar a uma meta de desempenho de sustentabilidade (SPT) em 31 de dezembro de 2025; caso a emitente não cumpra esse objetivo, pagará uma remuneração adicional de 1,25 euros por obrigação Mota-Engil 2026 na data de reembolso final do empréstimo.

Novo Banco avança com execução de 7,6 milhões a Luís Filipe Vieira

A ação de execução visa executar a Promovalor, Luís Filipe Vieira, a sua mulher, Vanda Ribeiro Vieira, e o sócio Manuel Almerindo Duarte
Comentários