PCP considera que reforço salarial é “manifestamente insuficiente” e pede aumento para 850 euros mensais

O PCP considera que a valorização do salário dos trabalhadores é uma “emergência social” e defende que um aumento do SMN para 850 euros é “perfeitamente comportável”.

O secretário-geral do Partido Comunista (PCP), Jerónimo de Sousa, considera que o aumento do salário mínimo nacional (SMN) proposto pelo Governo é “manifestamente insuficiente”. O PCP considera que a valorização do salário dos trabalhadores é uma “emergência social” e defende que um aumento do SMN para 850 euros mensais é “perfeitamente comportável”.

“O que o Governo anuncia nesta matéria fica aquém do necessário e possível”, afirmou Jerónimo de Sousa, no debate quinzenal, depois de o primeiro-ministro ter anunciado que vai aprovar esta quinta-feira em Conselho de Ministros um aumento do SMN para 635 euros mensais.

O secretário-geral do PCP considera que “a proposta do Governo é manifestamente insuficiente” e nota que “vamos ficar ainda mais distantes, em dinheiro, do salário mínimo dos nossos principais parceiros comerciais e da erradicação da pobreza”.

O PCP pede, por isso, um aumento para os 850 euros mensais e sublinha que a proposta “é perfeitamente comportável pela política portuguesa e seria um estímulo à sua modernização”.

Jerónimo de Sousa considera ainda que é preciso criar “legislação que alargue os direitos dos trabalhadores” e “feche as portas à generalização da precariedade”.

“A dinamização da contratação coletiva, que o Governo anuncia querer promover, ficará apenas como simples proclamação de intenções, se não se avançar com a revogação das normas gravosas da legislação laboral, nomeadamente a caducidade da contratação coletiva”, defendeu, acusando ainda o primeiro-ministro de não dar “a cara com a careta” ao aprovar a lei da caducidade dos contratos.

Sobre a política de rendimentos, Jerónimo de Sousa diz ainda que, tendo em conta a legislação atual, uma reforma de 400 euros teria apenas um aumento de três euros. “É preciso alterar a lei e valorizar de forma mais substancial as reformas e as pensões se queremos combater a pobreza em Portugal”, defendeu o secretário-geral comunista.

Ler mais
Recomendadas

PSD quer reuniões quinzenais sobre situação epidemiológica no país

A bancada liderada por Rui Rio, que também é o presidente do partido, sublinha que é necessário “adotar, na nova fase que se avizinha, um novo modelo” que dê privilégio à “função parlamentar na defesa da saúde pública”.

Parlamento “chumba” candidatos a quatro órgãos, incluindo fiscais das “secretas”

O parlamento chumbou esta sexta-feira os candidatos ao Conselho Superior de Defesa Nacional, Conselhos de Fiscalização do SIRP e do Sistema Integrado de Informação Criminal e Conselho Superior de Informações.

Eurodeputados pedem inquérito da Autoridade Bancária Europeia ao ‘Luanda Leaks’

Os parlamentares instam também as autoridades nacionais a iniciarem as investigações sobre as revelações do caso ‘Luanda Leaks’ e a intentarem ações contra as partes interessadas que violem as normas em matéria de luta contra o branqueamento de capitais.
Comentários