PCP recomenda ao Governo ampliação e requalificação do hospital Garcia de Horta

O PCP quer que seja construído novo edifício dedicado às atividades de ambulatório “tendo em conta a desadequação das suas instalações face à população da sua área de abrangência”.

O Partido Comunista Português (PCP) deu entrada no Parlamento, esta sexta-feira, de um projeto de resolução onde recomenda ao Governo que amplie e requalifique o hospital Garcia de Horta, em Almada.

No projeto de resolução nº 1432/XIV/2ª o PCP sugere que o Governo desenvolva os “procedimentos necessários para a ampliação do hospital Garcia de Orta, em Almada, nomeadamente através da construção de um novo edifício, dedicado às atividades de ambulatório, tendo em conta a desadequação das suas instalações face à população da sua área de abrangência e ao facto de ser o hospital de referência para a zona sul do País em diversas especialidades”.

O PCP pretende que “numa primeira fase realize-se o investimento na construção de um novo edifício e na ampliação da área das urgências, seguida de uma segunda fase, da requalificação das atuais instalações que permita uma reorganização dos serviços e valências”.

Quanto às verbas alocadas para o projeto, os comunistas esperam que decorra “através do recurso a fundos comunitários, sem prejuízo da alocação de verbas do Orçamento do Estado para este fim”.

Para o PCP a ampliação justifica-se porque desde que o “hospital foi inaugurado este já se encontrava subdimensionado face às necessidades na prestação de cuidados de saúde, com o crescimento populacional nos concelhos da área de influência direta do hospital, a situação foi-se deteriorando”.

“As limitações decorrentes da estrutura física do hospital refletiram-se nas dificuldades na prestação de cuidados de saúde aos utentes, ocorrendo diversas vezes situações de rutura dada a elevada afluência aos serviços do Hospital, e elevados tempos de espera, realidade que se foi agravando ao longo dos anos”, sublinha o partido.

Recomendadas

Autárquicas: Volt diz ser de “mau tom” que PRR seja utilizado para propaganda eleitoral

O líder do Volt Portugal, que participou numa arruada no Porto, considera que a ideia de que os candidatos socialistas possam ser beneficiados na utilização dos fundos do PRR “é inconcebível” e deve fazer Governo e candidatos refletir.

Autárquicas: Manuela Ferreira Leite afirma que PS com “esquerda radical” resulta na “ruína do país”

Questionada sobre as diferenças entre os dois principais candidatos à presidência da Câmara de Lisboa, o social-democrata Carlos Moedas e o socialista Fernando Medina, que é o atual presidente da Câmara de Lisboa, a antiga presidente do PSD disse que “são realmente duas pessoas que nada tem a ver uma com a outra no sentido do seu projeto e da sua forma de estar”.

Autárquicas: Moedas recebe apoio de Manuela Ferreira Leite e tenta convencer indecisos

Manuela Ferreira Leite entrou na conversa para defender o perfil de Carlos Moedas, dando como exemplo o socialista “Jorge Sampaio, que tinha, exatamente, um perfil discreto, não era combatido”.
Comentários