PCP sugere “redução do número de alunos por turma”

Para o PCP também é importante que o Governo altere a “norma-travão que bloqueia o acesso aos quadros e à carreira docente”,

O Partido Comunista Português (PCP) sugeriu um conjunto de medidas no sentido de reforçar a escola pública, entre as propostas está a redução do número de alunos por turma.

Em conferência de imprensa o deputado do PCP, Jorge Pires, apresentou as medidas do partido que posteriormente foram publicadas no site dos comunistas. Assim, o PCP pede a “redução do número de alunos por turma, flexibilização da organização das turmas, permitindo o seu desdobramento e evitando a junção de vários anos na mesma turma”.

Os comunistas querem que exista “garantia de condições para uma prática assente na diferenciação pedagógica individual e por grupos de aprendizagem, dentro de cada ano de escolaridade, reforço efetivo de horas atribuídas às escolas para o desenvolvimento de tutorias e mentorias, reforço dos meios destinados a uma educação verdadeiramente inclusiva e criação de equipas multidisciplinares específicas ou reforço significativo das existentes para que articulem os Planos de Recuperação”.

Para o PCP é importante que o Governo altere a “norma-travão que bloqueia o acesso aos quadros e à carreira docente”, termine com “todos os processos do PREVPAP [programa de regularização extraordinária dos vínculos precários]” e que contrate “com vínculo efetivo, todos os trabalhadores indispensáveis para responder às necessidades permanentes das escolas”.

“Estas são medidas urgentes e necessárias que visam a resolução dos problemas emergentes na Escola Pública. Mais do que se reafirmar o que se fez no passado como tem sido palavra de ordem deste Governo, em especial do Ministério da Educação, é urgente e necessária uma política diferente, uma política patriótica”, sublinhou Jorge Pires.

Recomendadas

Sondagem aponta que Rui Moreira pode renovar a maioria absoluta no Porto

Rui Moreira reúne 45% das intenções de voto, com o PS a recuar 11 pontos face aos resultados obtidos em 2017.
medina_candidatura

CNE afasta irregularidade na inclusão de presidentes de institutos públicos na comissão de honra de Medina

Presidentes da Agência para a Modernização Administrativa, do Instituto Português do Desporto e Juventude e da Fundação INATEL surgem identificados com esses cargos na listagem de apoiantes da coligação Mais Lisboa. Membros do Governo optaram pelas respetivas profissões ou cargos partidários, “faltando” apenas cinco dos atuais ministros na comissão de honra de Fernando Medina.

PS está na “posição ingrata” em que “todos lhe batem”, diz António Costa

Segundo o líder socialista, “a realidade” é que, “em cada um dos concelhos, a escolha é sempre uma, ou é o PS e as coligações PSD/CDS-PP ou é o PS e a CDU”.
Comentários