Pedro Nuno Santos lamenta morte de Jorge Coelho fazendo promessa de recuperar ferrovia em Portugal

Numa publicação no Facebook, Pedro Nuno Santos recorda o trabalho que estava a desenvolver em parceria com Jorge Coelho “com a possibilidade de conseguirmos voltar a ter indústria nacional na área ferroviária”, e embora reconheça que a “tarefa está longe de estar concluída”, frisa que “vamos conseguir”.

Mário Cruz/LUSA

O ministro das Infraestruturas e da Habitação lamentou, esta quarta-feira, a morte de Jorge Coelho, considerando o ex-governante e ministro como “companheiro, compassivo e socialista”.

Numa publicação no Facebook, Pedro Nuno Santos recorda o trabalho que estava a desenvolver em parceria com Jorge Coelho “com a possibilidade de conseguirmos voltar a ter indústria nacional na área ferroviária”, e embora reconheça que a “tarefa está longe de estar concluída”, frisa que “vamos conseguir”.

“E essa vai ser a maior homenagem que te poderei fazer”, acrescenta o atual ministro.

Caro Jorge, vais fazer falta a tantos. À tua família, em primeiro lugar, aos teus amigos, aos teus camaradas. Vais-me…

Publicado por Pedro Nuno Santos em Quarta-feira, 7 de abril de 2021

O ex-dirigente socialista e antigo ministro Jorge Coelho morreu hoje na Figueira da Foz, de doença súbita, quando visitava uma casa na zona turística da cidade, disse à agência Lusa fonte dos bombeiros.

De acordo com Jody Rato, comandante dos Bombeiros Voluntários da Figueira da Foz, Jorge Coelho, de 66 anos, sentiu-se mal durante a visita a uma habitação na rua da Liberdade, na zona turística do Bairro Novo.

“A senhora que estava com ele ligou para o 112 e quando a nossa equipa chegou ao local ele estava em paragem cardiorrespiratória. Foram feitas manobras de reanimação mas não foi possível reverter a situação”, tendo o óbito sido declarado no local, adiantou o comandante.

Ler mais
Recomendadas

Contratos para obras públicas a partir de 5 milhões vão destinar 1% para obras de arte

“Prevê-se, como regra, que 1% do preço, em contratos de valor igual ou superior a cinco milhões de euros, seja aplicado em inclusão de obras de arte nas obras públicas objeto desses contratos”, acrescenta o comunicado do Conselho de Ministros.

Novo Banco: José Eduardo dos Santos não respondeu a Cavaco Silva sobre BESA

O antigo presidente angolano José Eduardo dos Santos não respondeu a uma carta do antigo homólogo português, Aníbal Cavaco Silva, acerca da situação do BES Angola (BESA), segundo respostas enviadas à comissão de inquérito ao Novo Banco.

“Hoje é um dia histórico”: Ministra destaca aprovação do estatuto do profissional da Cultura

A ministra da Cultura sublinhou que “o estatuto para os profissionais da cultura é algo que nunca tinha acontecido e será capaz de trazer para o sistema de proteção social muitos milhares de profissionais do sector”.
Comentários