“Pensamento Crítico”. “Novo Banco? As próprias comissões de inquérito são absolutamente inócuas”

“Estamos confrontados com um conjunto de negócios feitos em circuito fechado por uma elite completamente promíscua e não há responsabilização. As próprias comissões de inquérito fazem parte das variantes de entretenimento”, destaca João Paulo Batalha no programa da JE TV.

Na última edição do programa “Pensamento Crítico”, da plataforma multimédia JE TV, foi debatido o relatório de Auditoria do Tribunal de Contas (TdC) sobre o Novo Banco, numa edição que contou com a presença de Nuno Garoupa, professor de Direito na Universidade George Mason, Washington, e João Paulo Batalha, ex-presidente da Associação Transparência e Integridade.

“Estamos confrontados com um conjunto de negócios feitos em circuito fechado por uma elite completamente promíscua e não há responsabilização. As próprias comissões de inquérito fazem parte das variantes de entretenimento”, destaca João Paulo Batalha no programa da JE TV.

Falta de transparência, pouco cuidado com a salvaguarda dos dinheiros públicos, bem como a existência de conflitos de interesses, são alguns dos pontos principais que foram identificados pelo TdC relativamente ao Novo Banco.

Relacionadas

Da “falta de transparência” à “existência de conflitos de interesses”. Relatório do TdC sobre o Novo Banco em debate no “Pensamento Crítico”

O relatório de Auditoria do Tribunal de Contas sobre o Novo Banco vai estar em debate nesta edição que conta com as presenças de Nuno Garoupa, professor de Direito na Universidade George Mason, Washington, e João Paulo Batalha, ex-presidente da Associação Transparência e Integridade.
Recomendadas

Julgamento de Ricardo Salgado volta a ser adiado (com áudio)

O julgamento foi adiado a pedido do Ministério Público e marcado para 6 de julho.

BES: Fundos internacionais lesados exigem ser ressarcidos ou boicotam recuperação europeia

Um grupo de investidores institucionais internacionais coordenado pelo fundo Attestor Capital, lesados em 2.000 milhões de euros no caso BES, quer que a Comissão Europeia (UE) resolva o caso, sob pena de não financiarem a recuperação económica pós-pandemia.

Novo Banco: PSD contraria Mourinho Félix quanto à retransmissão de obrigações de 2015

Acusando o antigo governante socialista de dizer “coisas que contradizem os factos”, Hugo Carneiro contrariou a versão de Mourinho Félix quanto à subida dos juros após a retransmissão de obrigações em 2015, dizendo que esta aconteceu sim após a apresentação do Orçamento do Estado de 2016.
Comentários