Pessimismo toma conta de Wall Street com receios do abrandamento económico

Mercados norte-americanos corrigem, seguindo a tendência dos pares europeus. Dia ficará ainda marcado pela apresentação do plano empresarial da Apple.

Os principais índices norte-americanos arrancaram a semana a negociar no vermelho, seguindo a tendência das praças europeias, com os investidores mais cautelosos com o receio do abrandamento económico global.

O industrial Dow 30 e o S&P 500 perdem 0,26% para 25.435,10 pontos e 2.793,44, respetivamente. Já o tecnológico Nasdaq recua 0,48% para 7.605,60 pontos.

“Pela primeira vez desde 2007 os investidores passaram a exigir juros mais elevados para financiamento aos EUA a 3 meses do que a 10 anos”, refere Ramiro Loureiro, analista de mercados do Millennium investment banking. O analista explica que “em geral este spread negativo (yield 10 anos – yield 3 meses) é visto como um sinal de possível recessão económica, pelo que a curva atual gera preocupação, numa altura em que indicadores como os PMIs mostram arrefecimento da atividade”.

O dia ficará ainda marcado pela apresentação do plano empresarial da Apple, com os investidores expectantes sobre o que a gigante tecnológica dirá sobre a expansão do ramo de serviços, nomeadamente streaming e news.

No mercado petrolífero, o brent perde 0,70% para 66,28 dólares e o petróleo WTI recua 1,19% para 58,34%.

  • Cotações retiradas às 14h33
Recomendadas

Perdas da Galp, Jerónimo Martins e das papeleiras condicionam PSI 20

O principal índice bolsista português perde 0,16%, para 5.251,38 pontos na sessão desta terça-feira.

Wall Street em máximos mas sem rumo

Ou seja foi mais uma puxada “estética” que algo mais, até porque o volume continuou bem abaixo da média com 5.3 biliões de negócios.

Época de resultados puxa por Wall Street

Depois do Citi, apresentarão suas contas ao mercado esta semana outras empresas como a Johnson & Johnson, J.P. Morgan, Goldman Sachs, Wells Fargo, IBM, Bank of America, eBay, Netflix, UnitedHealth, Morgan Stanley e Microsoft.
Comentários