“Plano de Recuperação está já numa fase bastante avançada”, diz João Leão

Ministros das Finanças explicou que a primeira reunião presencial do Eurogrupo desde o início da pandemia se centrou no Fundo de Recuperação, através do qual os países poderão aceder aos fundos de apoio europeus.

O ministro das Finanças, João Leão, adiantou que o Plano de Recuperação que Portugal terá que entregar em Bruxelas para aceder às verbas do Fundo de Recuperação está “numa fase bastante avançada”, já que o Executivo quer ver autorizados os fundos “o mais cedo possível”.

“O governo está a preparar o seu Plano de Recuperação que está já numa fase bastante avançada para que o mais cedo possível consiga fazer com que estes fundos cheguem à economia portuguesa”, afirmou João Leão esta sexta-feira em Bruxelas, à margem da reunião do Eurogrupo, em declarações aos jornalistas transmitidas pela Sic Notícias.

O ministro da tutela frisou que os últimos indicadores em Portuga revelam que o país “têm estado a recuperar significativamente, nomeadamente “na construção, na indústria e nalguns outro setores”. Contudo, salientou que “essa recuperação” que “também é sentido noutros países europeus” é “ainda muito incompleta e incerta, uma vez que “a pandemia ainda continua em toda a Europa”.

“O foco da reunião do Eurogrupo foi como recuperar a economia portuguesa, europeia e dos diferentes países neste ano e no próximo. Considerámos que o desafio principal vai ser a recuperação da economia e do emprego. Para isso vai ser fundamental que o Fundo de Recuperação europeu, que vai financiar os programas nacionais de reformas. Nesse sentido, discutimos aqui quais deveriam ser as prioridades”, disse, acrescentando que “deve ter uma visão de estimular a economia o mais rapidamente possível, mas não deve perder foco”.

Sinalizou ainda que os ministros das Finanças da zona euro discutiram a introdução de novas formas de fiscalidade” mais justa e ambientalmente mais favorável”, nomeadamente impostos sobre as multinacionais tecnológicas, assim como a possibilidade de  introduzir novos impostos sobre a importação de produtos poluentes.

“Foram dados importantes passos no compromisso de acelerar uma reforma importante que é a União Bancária a nível europeu, uma reforma extremamente importante”, vincou, apontando para o objetivo final do seguro de depósitos europeu “que ajudará os diferentes países a crises que possam existir no futuro”, assim como diminuir a exposição a eventuais crises no setor financeiro.

Ler mais

Relacionadas

João Leão à “Bloomberg”: “Economia está a crescer rapidamente e melhor que o esperado”

“Em Portugal, por exemplo, o PIB caiu 16% em comparação com o ano passado mas agora a economia está a crescer rapidamente e melhor do que o esperado, tanto em Portugal como na Europa”, disse o ministro das Finanças à “Bloomberg”.
Recomendadas

Operadores oferecem mais de 200 milhões de euros no sétimo dia da fase principal do leilão do 5G

Face de licitação principal do leilão do 5G chega aos 200,4 milhões de euros. Propostas superam em 4,2 milhões de euros as ofertas das rondas de quinta-feira.

PremiumDeolinda Silva: “Indústria alimentar pode ser exportadora líquida num futuro próximo”

As exportações do sector agroalimentar português cresceram cerca de 20% entre 2015 e 2019. Nesse ano, as empresas associadas da PortugalFoods exportaram 830 milhões de euros, um crescimento de 40% no período em causa.

Bruxelas propõe alterar OE2021 para ajudar Estados-Membros na adaptação ao Brexit

Este ajuste garantirá a disponibilidade de recursos suficientes este ano para ajudar os 27 países do bloco europeu a fazer face aos efeitos imediatos do Brexit.
Comentários