Plástico, latas e vidro. Nas novas máquinas de recolha automática é (quase) tudo aceite em prol do ambiente

Projeto Bebidas + Circulares é semelhante ao projeto-piloto apresentado pelo Governo em março, no qual a recolha funciona da mesma forma: garrafas até meio litro recebem 0,02 euros e garrafas até dois litros recebem 0,05 euros. A maior diferença entre estes dois projetos é que o Bebidas + Circulares permite a recolha de latas e garrafas de vidro.

Lisboa tem um novo projeto-piloto de recolha de embalagens, que pretende incentivar os cidadãos a reciclar as embalagens já usadas. O concelho de Lisboa tem 11 novas máquinas de devolução automática, alusivas ao projeto Bebidas + Circulares, que emite talões de valor simbólico que podem ser descontados em compras nas superfícies comerciais ou doados a instituições de solidariedade.

O projeto desenvolvido pela Águas Minerais e de Nascente de Portugal (APIAM), Associação Portuguesa de Empresas e de Distribuição (APED) e Associação Portuguesa das Bebidas Refrescantes Não Alcoólicas (PROBEB) é apoiado pela Câmara Municipal de Lisboa, no âmbito da Lisboa Capital Verde Europeia 2020, e entrou em vigor a 25 de novembro.

De acordo com o projeto, a parceria entre as entidades contempla a instalação de uma máquina de recolha no Mercado Municipal de Benfica, que permite aos utilizadores obter descontos simbólicos para usufruir no mesmo espaço, enquanto as restantes máquinas se encontram instaladas em lojas Continente, Pingo Doce, Auchan e El Corte Inglés.

Com um orçamento de perto de um milhão de euros e um financiamento de 90% do programa EEA Grants – criado na sequência da assinatura de um acordo entre Portugal, Noruega, Islândia e Liechtenstein -, o projeto tem a duração total de um ano e pretende recolher 2,5 milhões de embalagens usadas pelos lisboetas e atingir as 50 toneladas de plástico reciclado.

O projeto Bebidas + Circulares é semelhante ao projeto-piloto apresentado pelo Governo em março, no qual a recolha funciona da mesma forma: garrafas até meio litro recebem 0,02 euros e garrafas até dois litros recebem 0,05 euros. A maior diferença entre estes dois projetos, é que o Bebidas + Circulares permite a recolha de latas e de garrafas de vidro, além de garrafas plásticas PET.

A funcionar apenas no concelho de Lisboa, este projeto das três associações serve para “aumentar a representatividade da amostra e permitir uma melhor monitorização do comportamento dos consumidores”, bem como “testar a eficácia de locais de recolha ao alargar a superfícies comerciais de diferentes dimensões e formatos”. Este projeto pretende preparar também o futuro sistema de depósito de embalagens de bebidas, que deverá entrar em funcionamento em 2022.

Por enquanto, a recolha de embalagens de vidro só estará disponível em três locais: Continente Lisboa Marechal (Marvila), Pingo Doce Telheiras e Mercado de Benfica. Por sua vez, a recolha de latas e garrafas PET está disponível no Auchan das Amoreiras (Amoreiras Shopping Center), Continente Bom Dia do Restelo, Continente do Alto do Lumiar, El Corte Inglés, Supercor Restelo, Lidl da Penha de França, Pingo Doce João Saraiva (Alvalade), Pingo Doce da Graça e Pingo Doce Olivais Oriente.

As máquinas aceitam garrafas de bebidas em plástico PET, e em vidro e latas de metal, não reutilizáveis, como águas, sumos, refrigerantes (inclui bebidas energéticas e bebidas à base de chá), cervejas, vinhos e outras bebidas alcoólicas, com exceção de bebidas espirituosas. Embalagens de leite, detergentes e de champô não são aceites. Quando depositadas, as garrafas não devem ter líquidos nem estar espalmadas ou partidas, devem ter tampa e ter o rótulo e código de barras legível.

Caso o consumidor opte por doar o valor das garrafas depositadas, o valor doado reverte para a Associação Mais Proximidade Melhor Vida, de apoio à população idosa a viver na Grande Lisboa, e à Ajuda de Berço.

Relacionadas

Máquinas da Novo Verde recolheram mais de 500 mil garrafas PET e deram aos consumidores 20 mil euros em troca

Aos consumidores que aderiram ao projeto piloto da Novo Verde e que depositaram as suas garrafas PET, foram entregues vales de desconto no valor total de cerca de 20 mil euros.

Mais de um milhão de garrafas recolhidas em projeto de reciclagem que dá descontos

Financiado pelo Fundo Ambiental, o projeto contempla o pagamento de dois cêntimos por uma garrafa das mais pequenas (até meio litro) e de cinco cêntimos pelas maiores (até dois litros), tendo até agora sido pagos em vales cerca de 44 mil euros, disse a secretária de Estado.

Projeto-piloto para devolução de embalagens de plástico apresenta primeiros resultados

A secretária de Estado do Ambiente, Inês dos Santos Costa, participa nesta sessão de apresentação dos primeiros resultados do projeto-piloto de máquinas para a devolução de garrafas de bebidas em plástico.

Recolha de garrafas de plástico em máquinas automáticas dá talões de desconto entre 2 e 5 cêntimos por garrafa

Sexta feira, 13 de março, foi o dia de arranque do projeto piloto de recolha de garrafas de plástico não reutilizáveis nos 23 locais dispersos pelo território em que foram instaladas as máquinas automáticas que procedem à recolha e atribuem valores em talões de desconto, consoante a capacidade das garrafas.
Recomendadas

PRR serve “quem já está à mesa do Orçamento”, diz Viriato Soromenho-Marques

De acordo com o professor na Universidade de Lisboa, o Plano de Recuperação e Resiliência privilegia os grandes grupos económicos: “Essas pessoas não precisam de nenhum partido, já lá está o partido que lhes serve os interesses, já está instalado”.

Milhões da Europa começam a chegar este ano para o hidrogénio verde

O Plano de Recuperação e Resiliência vai começar a distribuir apoios já este ano e vai ser lançado um leilão para atribuir apoios. Várias empresas estão já a trabalhar para desenvolver um ‘cluster’ industrial de H2 verde de Sines.

Portugal terá a ganhar com acordo tributário global, diz ministro das Finanças

João Leão ressalva, contudo, ser “prematuro retirar consequências diretas para Portugal” deste compromisso, uma vez que este dependerá da forma como a criação de uma taxa mínima global sobre os lucros daquelas empresas e a atribuição de direitos fiscais aos países onde as empresas operam e não apenas onde estão sedeadas se irão articular e também de questões que precisam ainda de ser consensualizadas.
Comentários