Plataforma europeia de aconselhamento ao investimento chega a Portugal

“Estamos a reforçar a nossa colaboração com a IFD, a fim de garantir que os investimentos efetuados em Portugal beneficiam dos conhecimentos especializados, do aconselhamento e do apoio do BEI, através da Plataforma de Aconselhamento”, disse Emma Navarro, vice-presidente do Banco Europeu de Investimento.

O Banco Europeu de Investimento (BEI) e a Instituição Financeira de Desenvolvimento (IFD) assinaram um memorando de entendimento para promover o apoio disponível através da Plataforma Europeia de Aconselhamento ao Investimento (PEAI). Tendo por base os conhecimentos especializados do BEI e das instituições parceiras, a Plataforma de Aconselhamento presta apoio específico à identificação, preparação e desenvolvimento de projetos de investimento em toda a União Europeia. Um dos principais objetivos da consiste em estabelecer uma presença local em toda a União Europeia, a fim de adaptar a assistência técnica prestada.

“O BEI trabalha em estreita colaboração com os bancos de fomento nacionais, que são os nossos principais parceiros em toda a União Europeia. Estamos a reforçar a nossa colaboração com a IFD, a fim de garantir que os investimentos efetuados em Portugal beneficiam dos conhecimentos especializados, do aconselhamento e do apoio do BEI, através da Plataforma de Aconselhamento”, disse Emma Navarro, vice-presidente do BEI, em comunicado divulgado sta quinta-feira.

A IFD fica responsável pelo desenvolvimento do acesso local ao apoio da plataforma. Nos termos do novo acordo, a IFD funcionará como um ponto de entrada nacional para potenciais clientes e partes interessadas que pretendam utilizar a plataforma. A instituição de desenvolvimento portuguesa assegurará ainda a promoção, a nível nacional e local, de atividades.

“A Plataforma Europeia de Aconselhamento ao Investimento presta serviços de aconselhamento que visam melhorar a qualidade dos projetos de investimento”, afirmou, Henrique Cruz, presidente da comissão executiva da IFD.

“Esta parceria com a IFD permitirá às empresas portuguesas terem acesso à experiência e aos conhecimentos especializados do grupo do BEI no âmbito dos serviços disponibilizados, desde a avaliação preliminar da ideia do projeto, a aconselhamento técnico, jurídico e financeiro, formação e apoio à execução, fornecendo às empresas portuguesas ferramentas úteis para o seu crescimento”, acrescentou.

O memorando de entendimento assinado ontem promove também a colaboração entre o BEI e a IFD através da criação de uma plataforma de partilha de conhecimentos e melhores práticas. Esta irá permitir às instituições parceiras da PEAI em Portugal terem acesso a informações sobre como utilizar os instrumentos financeiros disponíveis para prosseguir objetivos de política pública por toda a Europa e adaptar esses exemplos e melhores práticas às circunstâncias das homólogas portuguesas.

Em janeiro de 2018, o BEI concedeu um empréstimo de 100 milhões de euros à IFD para a disponibilização de linhas de crédito ao sistema bancário nacional em condições favoráveis, traduzidas em baixas taxas de juro e longos prazos de reembolso, a fim de apoiar projetos de investimento de empresas portuguesas.

Ler mais
Relacionadas

Banco de fomento divulga instrumentos financeiros para empresários

Serão apresentados casos reais de empresas que tiveram acesso aos instrumentos financeiros disponibilizados pela IFD – Instituição Financeira para o Desenvolvimento.

BdP mantém estimativa de crescimento de 2,3% para 2018, apesar de travagem nas exportações

O Banco de Portugal salienta que o ambiente externo está menos benigno e que o abrandamento da procura externa deverá levar a que as exportações cresçam a um ritmo mais lento do que esperado há quatro meses. O investimento também deverá abrandar, mas o aumento do consumo privado deverá compensar as travagens.
Recomendadas

Mesmo sem Via CTT, reembolsos do IVA e IRC não serão suspensos

Os contribuintes que tenham direito ao reembolso do IRC ou do IVA, mas que não tenham aderido ao Via CTT, receberão os reembolsos devidos mesmos que sem a situação regularizada, esclarece um despacho normativo hoje publicado em Diário da República.

CGD baixa taxa mínima do spread para 1,23%. É o sexto banco a baixar custo do crédito à habitação

Em quatro meses, desde janeiro, seis bancos já reviram em baixa o spread mínimo cobrado aos clientes. O último a fazê-lo foi a CGD, depois do EuroBic, do BPI, do Crédito Agrícola, do Santander Totta e do Montepio.

Segurança Social: A partir de hoje já pode pagar online dívidas em prestações

O pedido para pagar dívidas, que se encontrem em execução civil, em prestações à Segurança Social já pode ser feito online. A nova funcionalidade, através da Segurança Social Direta, está disponível a partir desta quinta-feira, 18 de abril.
Comentários