Porto vai pagar 10 milhões de euros em comissões pela transferência de Fábio Silva

O FC Porto vendeu o passe de Fábio Silva aos ingleses do Wolverhampton, por 40 milhões de euros. Fábio Silva foi a contratação mais cara da história do emblema inglês. As comissões que o FC Porto tem de pagar correspondem a 25% do valor da transferência, pelo que só ficará com 30 milhões de euros. Sete milhões destinam-se à Gestifute do agente Jorge Mendes.

O Futebol Clube do Porto vai ter de desembolsar dez milhões de euros em comissões decorrentes da transferência do atleta Fábio Silva, 18 anos, para o clube inglês Wolverhampton, por 40 milhões de euros, segundo comunicou o clube da cidade Invicta à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, na quarta-feira à noite.

Na origem das comissões relativas à transferência do internacional sub-19 está a “execução de acordos previamente alcançados” que resultaram em “encargos com serviços de intermediação”. Dos dez milhões de euros que o FC Porto terá de assumir, sete milhões serão pagos à Gestifute, empresa do empresário desportivo Jorge Mendes. e os restantes três milhões terão de ser entregues à STV.

Os valores que serão pagos às duas empresas incluem já prémios de objetivos, decorrentes da venda do passe de Fábio Silva ao Wolverhampton. Desta forma, os dez milhões que o FC Porto terá de pagar correspondem a 25% do valor global da transferência do jogador, pelo que o clube azul e branco só receberá 30 milhões.

Foi no dia 5 de setembro que o clube liderado por Pinto da Costa há quase 40 anos informou a CMVM que os ingleses do Wolverhampton, clube treinado pelo português Nuno Espírito Santo, contratou Fábio Silva por 40 milhões de euros.

Fábio Silva foi a contratação mais cara da história do emblema inglês, tendo assinado contrato até 2025.

A chegada do jovem atleta português reforça a armada portuguesa naquele clube inglês. Além de Nuno Espírito Santo, o emblema da Premier League conta já com Rui Patrício, Rúben Vinagre, Rúben Neves, Bruno Jordão, João Moutinho, Vitinha, Pedro Neto, Daniel Podence e Diogo Jota.

O avançado de apenas 18 anos de idade, considerado no Estádio do Dragão um “miúdo-maravilha”, fez a formação no Nogueirense, Gondomar, FC Porto e Benfica. Em 2017 regressou ao FC Porto e até chegar à equipa sénior, na época 2019/2020, Fábio Silva evidenciou-se pelos sub-19, integrando a equipa que conquistou a UEFA Youth League.

Já no plantel principal dos azuis e brancos, na época transata, Fábio Silva somou 21 jogos (oito como titular) e três golos (dois na Taça de Portugal e um na Liga NOS). O jogador conquistou o campeonato e a Taça de Portugal.

O atleta detém ainda a marca de ser o mais jovem jogador de sempre do FC Porto a atuar em provas da UEFA, depois de ter  participado na vitória do clube sobre os suíços do Young Boys, num jogo a contar para o grupo G da Liga Europa, em setembro de 2019.

É também o mais jovem jogador de sempre do FC Porto a marcar um golo pela equipa principal, feito alcançado em outubro de 2019, quando Fábio Silva fez um dos cinco golos na vitória dos azuis e brancos sobre o Coimbrões, num jogo da Taça de Portugal. O jogador tinha, então, 17 anos e três meses.

 

Recomendadas

“Jogo Económico”. “Rui Costa? Se escolher os mesmos, poderá ser penalizado por isso”

Rui Costa vai candidatar-se à presidência do Benfica nas eleições para o quadriénio 2021-2025, marcadas para 9 de outubro, anunciou a 22 de setembro o ex-futebolista internacional português, que assumiu a liderança do clube lisboeta após a demissão de Luís Filipe Vieira. Veja a análise do painel do “Jogo Económico”.

Liga dos Campeões. Apostadores antecipam equilíbrio entre SL Benfica e FC Barcelona

Para os apostadores do Solverde, o FC Barcelona tem um ligeiro favoritismo com 42% de probabilidade de vitória (‘odd’ 2.40) enquanto o SL Benfica demonstra 36% de probabilidade de sair vitorioso (‘odd’ 2.75).

Espanha prepara apresentação da cadidatura aos Jogos Olímpicos de Inverno de 2030

A candidatura espanhola aos Jogos Olímpicos de 2030 nasce de uma parceria entre os governos regionais de Aragão e Catalunha, com o local escolhido a ser, sem surpresa, a parte espanhola dos Pirenéus.
Comentários