Portos da Madeira retomam atividade turística e receberam doze navios em 13 dias

Segundo a presidente da APRAM, “o turismo de cruzeiro é uma aposta da Madeira que, antes da pandemia, deixava na Região, anualmente, 50 milhões de euros”.

Os portos da Madeira receberam doze cruzeiros em 13 dias, tendo feito esta quarta-feira, 13 de outubro, escala no Funchal dois navios, o Europa e o Iona, a maior embarcação em tonelagem que fez a sua estreia na Região.

A informação foi prestada à agência Lusa pela presidente do Conselho de Administração dos Portos da Madeira (APRAM), Paula Cabaço.

“Os nossos portos já receberam doze escalas, em 13 dias”, afirmou, realçando estar “confiante relativamente à retoma da atividade da indústria de cruzeiros”.

A responsável adiantou que este mês são esperadas “29 escalas nos portos do Funchal e Porto Santo”, o que considerou ser “um ensaio para o mês de novembro” porque estão previstas aportar 58 embarcações naquelas infraestruturas insulares.

Segundo os dados da APRAM, a ilha do Porto Santo vai receber, de acordo com as reservas, quatro navios.

“Claro que são os números que dispomos agora. Como se sabe, ainda vivemos num quadro de incerteza em matéria de pandemia, mas o facto de a vacinação ter chegado a muita gente trouxe confiança ao setor”, sublinhou Paula Cabaço.

E complementou: “Aquilo que se pensava e desejava aconteceu: com mais gente a procurar os cruzeiros, as companhias preparadas com protocolos exigentes, tal como as infraestruturas portuárias, foram criadas as condições para fazer acontecer”.

Falando sobre os dois navios que aportaram esta quarta-feira no Funchal referiu que os passageiros e tripulantes que a bordo, do Europa e do Iona, “que hoje fez a sua primeira escala no porto do Funchal, estão vacinados e são testados regularmente durante a viagem”.

Estas duas embarcações envolveram a deslocação de um total de 191 viaturas: 55 autocarros, duas carrinhas, três viaturas letra T, 22 Tuk Tuks, doze jeeps, três sidecars, doze bicicletas elétricas, sete automóveis antigos e 75 táxis, indicam os dados da APRAM.

Segundo a presidente, “o turismo de cruzeiro é uma aposta da Madeira que, antes da pandemia, deixava na Região, anualmente, 50 milhões de euros”.

Relativamente ao Iona, a presidente dos portos fez saber que fará mais duas escalas na Região até ao fim do ano, estando programadas para 17 de novembro e 22 de dezembro.

O Iona é o maior navio, em termos de tonelagem, 184.089 GT, embora não seja o maior em comprimento porque tem 344 metros, enquanto o Anthem of the Seas, que também já esteve na Madeira, tem 348 metros de comprimento e uma tonelagem de 168 666 GT.

Este navio de cruzeiro chegou ao Porto do Funchal proveniente de Southampton e parte a meio da tarde para Tenerife, nas Ilhas Canárias.

A bordo traz 3.826 passageiros e 1.608 tripulantes e, sendo a sua estreia no Funchal, decorreu a “habitual cerimónia de boas-vindas e troca de crestas ou placas alusivas” no exterior, junto ao navio.

Quanto ao Europa, transporta cerca de 340 passageiros, chegou proveniente dos Açores e vai partir para La Palma, também no arquipélago canário.

Recomendadas
Provedor do Animal RAM

Madeira: Animais errantes e níveis de esterilização são os principais problemas diagnosticados pelo Provedor do Animal

O Provedor do Animal vai fazer uma recomendação à Associação de Municípios da Região Autónoma da Madeira (AMRAM), de onde destaca a não recomendação de canis intermunicipais.

Presidente cessante da Câmara do Funchal admite ser difícil assumir-se vereador

Miguel Silva Gouveia mencionou, após ter realizado na segunda-feira o último ato oficial, que tem, na hora de abandonar o cargo, uma “sensação ambivalente”.

Madeira: Tarifa social da água é competência dos municípios, defende PSD

Nuno Maciel garantiu que a Águas e Resíduos da Madeira (ARM), que tem a gestão das águas e resíduos em cinco dos onze concelhos, está a estudar este assunto e vai propor solução aos  municípios aderentes.
Comentários