Portugal afasta-se do objetivo nacional de energia de fontes renováveis, revela Eurostat

De acordo com o gabinete estatístico europeu, Portugal está a 2,9 pontos percentuais de cumprir a meta nacional, tendo a proporção de energias renováveis recuado ligeiramente face a 2016 (28,4%).

Portugal consumiu 28,1% de energia proveniente de fontes renováveis, em 2017, ligeiramente abaixo do ano anterior (28,4%) e ainda longe da meta nacional (31%), segundo dados hoje divulgados pelo Eurostat.

Na média da União Europeia (UE), 17,5% da energia final consumida proveio, em 2017, de fontes renováveis, aquém do objetivo de 20% fixado.

Portugal ocupa o segundo lugar de um grupo de seis países com proporções de fontes renováveis entre os 20% e os 30%, logo depois da Estónia (29,2%).

De acordo com o gabinete estatístico europeu, Portugal está a 2,9 pontos percentuais de cumprir a meta nacional, tendo a proporção de energias renováveis recuado ligeiramente face a 2016 (28,4%).

A Suécia tinha a maior proporção de energia final bruta proveniente de fontes renováveis (54,5%), seguindo-se a Finlândia (41,0%), a Letónia (39,0%), a Dinamarca (35,8%) e a Áustria (32,6%).

No extremo oposto da tabela estavam o Luxemburgo (6,4%), a Holanda (6,6%) e Malta (7,2%).

Cada Estado-membro traçou o seu objetivo nacional para 2020, tendo em conta os diferentes potenciais de captação de energias renováveis e 11 já os tinham atingido em 2017.

Dos 17 Estados-membros restantes, a Holanda (7,4 pontos percentuais), a França (6,7 pontos), a Irlanda (5,3 pontos), o Reino Unido (4,8 pontos), o Luxemburgo (4,6 pontos), a Polónia (4,1 pontos) e a Bélgica (3,9 pontos) são os que se encontravam em 2017 mais longe dos objetivos que traçaram.

Ler mais

Recomendadas

Azul votou favoravelmente a saída da TAP. Estado tem luz verde para a reestruturação

“Neeleman tinha a TAP na mão, com 84,2% dos direitos económicos”, recorda um ex-quadro da TAP. Mas a hipótese da nacionalização da companhia acelerou a saída dos brasileiros da Azul, que votaram favoravelmente o “adeus” à TAP esta segunda-feira, 10 de agosto, no Estado de São Paulo.

Gaia aprova intervenções em empreendimentos sociais no valor de 20 milhões de euros

“Na próxima semana já começam obras em vários”, disse esta tarde, em reunião camarária, o presidente da câmara de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, sobre um investimento que resulta de candidatura Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU).

Empresas com novo apoio à retoma recebem ajuda para subsídio de Natal em 2021

A jurista Alexandra Marcelino explicou que o trabalhador com redução de horário no âmbito do novo apoio extraordinário à retoma progressiva da atividade “tem direito a subsídio de Natal por inteiro”.
Comentários