Portugal concede moratória a Cabo Verde e a São Tomé e Príncipe sobre empréstimos diretos

A adoção desta medida de suspensão do pagamento de capital e juros vai determinar uma negociação, até setembro, de acordos de moratória com estes dois países africanos de língua oficial portuguesa, e o estabelecimento de novo plano e condições de empréstimos, refere o Governo.

Augusto Santos Silva | Cristina Bernardo

O Governo português concedeu uma moratória aos pagamentos vincendos, até 31 de dezembro de 2020, relativos aos empréstimos diretos concedidos à República de Cabo Verde e à República de São Tomé e Príncipe, na sequência dos pedidos apresentados por estes países, diz o Governo num comunicado conjunto do Ministério das Finanças e do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

“A adoção desta medida de suspensão do pagamento de capital e juros vai determinar uma negociação, até setembro próximo, de acordos de moratória com estes dois países africanos de língua oficial portuguesa, e o estabelecimento de novo plano e condições de empréstimos”, explica o Governo.

Trata-se de uma “autorização extraordinária do Governo português” e “integra o quadro de medidas de mitigação dos impactos económicos, sociais e sanitários provocados pela pandemia da Covid-19, e responde a repto lançado, pelo Clube de Paris e pelo G20, a todos os credores bilaterais oficiais e privados, para uma mobilização mundial no apoio aos países menos desenvolvidos, através da “Iniciativa de suspensão do serviço de dívida””, conclui o Executivo.

Recomendadas

Índice de volume de negócios de Cabo Verde cai 50% no segundo trimestre

Já as remunerações brutas registaram uma diminuição de 25,4% em termos homólogos e 27,6% em termos trimestrais, segundo os dados do INE cabo-verdiano.

Nasceu a associação para apoiar os jovens advogados dos países lusófonos

“É intenção da Associação Internacional de Jovens Advogados de Língua Portuguesa colaborar com os diferentes intervenientes da comunidade jurídica no sentido de dar apoio à integração e formação dos jovens advogados e advogados estagiários no contexto da CPLP”, diz o presidente ao Jornal Económico.

Dívida pública de Cabo Verde cresceu 1,5% em três meses e renova máximos

O ‘stock’ da dívida pública cabo-verdiana aumentou 1,5% de abril a junho, ultrapassando os 2.236 milhões de euros, equivalente a um novo máximo histórico de quase 135% do Produto Interno Bruto (PIB) cabo-verdiano, segundo dados oficiais.
Comentários