Portugal desafia Coreia do Norte a “retomar um diálogo sério”

Ministério dos Negócios Estrangeiros qualificou o último teste nuclear norte-coreano como “uma flagrante e inaceitável violação das obrigações definidas”.

Em comunicado enviado às redações, o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) “condena veementemente” um novo teste nuclear pela República Popular Democrática da Coreia, “mais uma flagrante e inaceitável violação das obrigações das resoluções do Conselho de Segurança da ONU”.

O Governo reitera o seu “empenho no rigoroso cumprimento das sanções unanimemente impostas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas e pela União Europeia à República Popular Democrática da Coreia”.

Portugal exorta ainda a República Popular Democrática da Coreia a “retomar um diálogo sério com a comunidade internacional, no sentido de um abandono completo, verificável e irreversível dos seus programas balístico e nuclear, que desafiam os regimes internacionais de não proliferação e desarmamento, colocando em risco a paz e a estabilidade regionais e mundiais”.

No último domingo, a Coreia do Norte realizou o sexto teste nuclear, o mais potente de todos.  A comunidade internacional condenou o novo desenvolvimento de armamento norte-coreano. Seul e Tóquio pediram mais sanções ao regime de Kim Jong-un.

 

 

 

Ler mais
Recomendadas

Canadá promete retaliar contra novas tarifas norte-americanas

Se os Estados Unidos voltarem a impor tarifas aos produtos canadianos com base no alumínio, como fizeram em 2018, o Canadá responderá aplicando tarifas retaliatórias.

Facebook remove rede pró-Trump baseada na Roménia

O Facebook revelou que removeu recentemente uma pequena rede de contas a operar a partir da Roménia que promovia a campanha de reeleição do presidente Donald Trump.

Estado de Nova Iorque vai processar associação que promove as armas pessoais

A poderosa NRA, National Rifle Association, vai ser processada por corrupção e desvio de fundos para interesses pessoais. Donald Trump já veio defender a organização, que teve em Barack Obama um dos seus maiores inimigos.
Comentários