Portugal é um dos países que mais penaliza casais com filhos e salários médios

Um casal com dois filhos e o salário médio está sujeito a uma carga fiscal sobre o trabalho acima da média da União Europeia. Além de Portugal só a República Checa iguala a mesma carga fiscal relativamente a este factor.

Teodora Cardoso, presidente do Conselho de Finanças Públicas

Portugal encontra-se entre os países europeus com economias de riqueza comparadas à sua, onde um casal com salários médios e filhos está sujeito a mais impostos sobre o trabalho. A notícia é avançada esta quinta-feira pelo “Jornal de Negócios” e é uma das conclusões do Conselho das Finanças Públicas (CFP), que fazem parte do relatório “Riscos Orçamentais e Sustentabilidade das Finanças Públicas”.

O nosso país é a par da República Checa aquele que apresenta a mais elevada carga fiscal sobre o factor do trabalho, “de todos os países considerados na amostra”, indica o relatório. Relativamente a este factor, Portugal tem também uma carga fiscal acima da média da União Europeia.

Um casal que tenha dois filhos e salários médios a carga fiscal pesa 38,7%, acima dos 36,7% da média europeia e a par dos 38,8% da República Checa. Por outro lado, este relatório revela que Portugal se destaca “como o Estado mais competitivo de todos os selecionados quando se consideram as mesmas situações familiares, mas com salários inferiores”.

Esta competitividade faz-se sentir ainda mais em cidadãos solteiros e sem filhos, com um salário 50% abaixo da média europeia, já que em Portugal a carga fiscal sobre o trabalho pesa 28,1%, e na média europeia 32,1%.

Recomendadas

Ligações fluviais entre Barreiro e Lisboa não estão asseguradas na manhã e início da tarde deste sábado

Entre as 7h25 e as 14h55, no sentido entre o Barreiro e Lisboa, e entre as 7h55 e às 15h25, no sentido contrário, as ligações não estão asseguradas, estando os horários “sujeitos a confirmação”, diz Soflusa em comunicado.

Irão anuncia captura de petroleiro britânico

Esta situação acontece no mesmo dia em Gibraltar estendeu por trinta dias o período de retenção do petroleiro iraniano Grace 1, retido há quase duas semanas neste território por suspeitas transporte de crude para a Síria.

Azeredo Lopes sabia desde o início do “encobrimento”, diz despacho do MP sobre Tancos

Segundo o despacho do MP, os procuradores do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) sustentam que, em agosto de 2017, dois meses antes do “achamento”, Azeredo Lopes teve uma reunião no Ministério da Defesa com o ex-diretor da Polícia Judiciária Militar, Luís Vieira, na qual foi informado – e deu o aval – do plano para a recuperação do material.
Comentários